Finanças

Taxas futuras de juros sobem com dólar em meio à cautela política e externa

Os juros futuros começaram esta quarta-feira, 15, estáveis, mas em seguida passaram a subir, em linha com o dólar, em dia de cautela no exterior e com o cenário interno, com a paralisação nacional contra os cortes na educação, deixando em segundo plano o resultado fraco do IBC-Br de março.

Após recuar 0,98% em fevereiro (dado revisado), a economia brasileira teve nova baixa em março deste ano. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) recuou 0,28% em março ante fevereiro, na série com ajuste sazonal, informou o BC. A baixa do IBC-Br veio perto da mediana do intervalo projetado pelos analistas do mercado financeiro consultados pelo Broadcast Projeções, que esperavam resultado entre recuo de 1,00% e zero (mediana de -0,30%).

Às 9h21 desta quarta-feira, a taxa do contrato interfinanceiro (DI) para janeiro de 2021 estava em 6,89%, na máxima, de 6,85% no ajuste de terça. O DI para janeiro de 2023 exibia 8,04%, de 7,99% na véspera, enquanto o vencimento para janeiro de 2025 estava em 8,61%, de 8,56% no ajuste anterior.

Tópicos

taxas de juros