Finanças

Taxas futuras de juros caem com RTI e dólar fraco após PIB dos EUA

Os juros futuros operam em baixa na manhã desta quinta-feira, 28, reagindo ao dólar fraco e à leitura do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), que ressaltou a preocupação do Banco Central (BC) com a inflação e a atividade econômica.

De acordo com economistas do Bradesco, o relatório “reforçou a sinalização de que o plano de voo atual do Banco Central é o de manutenção da taxa Selic em 6,50%, a menos que a evolução do balanço de riscos e a disseminação do choque cambial seja maior para os preços”. A avaliação foi feita em nota a clientes.

Em segundo plano ficou a aceleração do IGP-M de junho, de +1,38% em maio para +1,87% em junho – acima da mediana do Projeções Broadcast de 1,77% e em nível recorde mensal desde outubro de 2015 (1,89%).

No câmbio, o dólar passou a cair, após oscilar nos primeiros negócios, acompanhando o enfraquecimento da moeda americana ante seus pares principais lá fora, reagindo ao PIB dos EUA do primeiro trimestre, que subiu 2,0%, abaixo da previsão dos analistas, de +2,2%.

As expectativas se voltam agora para a pesquisa Ibope/CNI (10h) e a entrevista do presidente do BC, Ilan Goldfajn (às 11h).

Às 9h43 desta quinta-feira, o DI para janeiro de 2021 indicava 9,42%, de 9,55% no ajuste de quarta (27). Já o vencimento para janeiro de 2023 estava em 10,91%, ante 10,99% do ajuste da véspera. No câmbio, o dólar à vista caía 0,64%, a R$ 3,8498 e o dólar futuro de julho, -0,31%, aos R$ 3,8485.

Tópicos

taxas de juros