Finanças

Taxas de juros recuam a sinais de apoio ao fiscal e mesmo com serviços mais forte

Os juros futuros abriram em baixa em toda a curva, mas o movimento é mais acentuado nos longos, em meio aos sinais positivos de preocupação do governo e do Congresso com o controle fiscal e andamento das reformas, como a administrativa. Nos curtos, as taxas rondam a estabilidade, mas o viés é de baixa, mesmo após a pesquisa de serviços ter mostrado avanço de 5,0% em junho, na margem, acima da mediana estimada de 4,35%.

Às 10h07, o DI para janeiro de 2027 caía para 6,66%, na máxima, de 6,71% no ajuste de ontem.

O DI para janeiro de 2023 recuava para 3,90%, na máxima, de 3,95%, enquanto o vencimento para janeiro de 2022 estava em 2,75%, na máxima, de 2,77% ontem no ajuste.

Veja também

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

Tópicos

taxas de juros