Finanças

Taxas de juros curtas e médias sobem com ata mais dura e longas ficam estáveis

Os juros curtos e médios têm ajuste de alta, de ao redor de 10 pontos-base, ao tom mais duro ou “hawkish” da ata do Copom, entendido como uma chance de aumento da Selic em 100 p.b em agosto, uma possibilidade que já aparecia na curva de juro antes da ata. Segundo o documento, o “Copom destacou a possibilidade de um ajuste mais tempestivo na próxima reunião”. Às 9h11 desta terça-feira, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2022 subia a 5,70%, de 5,59% no ajuste de segunda-feira. O DI para janeiro de 2023 avançava para 7,20%, de 7,11%, e o para janeiro de 2027 estava em 8,64%, mesma taxa do ajuste da véspera.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago



Tópicos

taxas de juros