Economia

Taxa de subutilização da força de trabalho cai para 29,0%, diz IBGE

Crédito: Arquivo Agência Brasil

Comércio de rua em Brasília. (Crédito: Arquivo Agência Brasil)

A taxa composta de subutilização da força de trabalho caiu de 30,6% no trimestre móvel encerrado em agosto para 29,0% no trimestre móvel terminado em novembro, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados nesta quinta-feira, 28, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).



A taxa composta inclui a de desocupação, a de subocupação por insuficiência de horas e a da força de trabalho potencial, pessoas que não estão em busca de emprego, mas que estariam disponíveis para trabalhar. No trimestre móvel até outubro de 2019, a taxa de subutilização da força de trabalho estava em 23,3%.

+ IBGE incentiva responder à Pnad Contínua por telefone
+ População fora da força de trabalho soma 76,4 milhões, diz IBGE

Isso significa que faltou trabalho para 32,162 milhões de pessoas, que estavam na população subutilizada (que inclui desocupados, subocupados por insuficiência de horas e a força de trabalho potencial).

Esse contingente caiu 3,5% ante o trimestre móvel imediatamente anterior, com 1,157 milhão de pessoas a menos. Em relação a igual período de 2019, ainda registra um avanço de 21,0%, ou 5,586 milhões de pessoas a mais.




Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?