Giro

Tailândia vai doar um milhão de plantas de cannabis grátis para famílias, diz ministro

Crédito: Reprodução/Divulgação

Região notória por penalidades severas para drogas ilegais, a Tailândia se tornou o primeiro país do Sudeste Asiático em 2018 a legalizar para uso médico (Crédito: Reprodução/Divulgação)



O governo tailandês distribuirá um milhão de plantas de cannabis gratuitas para famílias em todo o país em junho para marcar uma nova regra que permite que as pessoas cultivem cannabis em casa, disse seu ministro da saúde.

O ministro da Saúde, Anutin Charnvirakul, anunciou a mudança em um post no Facebook em 8 de maio, no qual expressou sua intenção de que as plantas de cannabis sejam cultivadas como “culturas domésticas”.
A nova regra, que entra em vigor em 9 de junho, permitirá que as pessoas cultivem plantas de cannabis em casa após notificar o governo local, mas as plantas terão que ser de grau médico e usadas exclusivamente para fins medicinais. Além disso, a cannabis não pode ser usada para fins comerciais sem licenças adicionais.
A mudança é o mais recente passo no plano da Tailândia de promover a cannabis como uma cultura comercial. Cerca de um terço de sua força de trabalho trabalha na agricultura, segundo o Banco Mundial.
Em uma região notória por penalidades severas para drogas ilegais, a Tailândia se tornou o primeiro país do Sudeste Asiático em 2018 a legalizar a cannabis para pesquisa e uso médico.
O reino também afrouxou as leis locais em torno da cannabis. No ano passado, as empresas tailandesas de bebidas e cosméticos correram para lançar produtos com cânhamo e CBD, um composto que não dá alta aos usuários, depois que seu uso foi aprovado para bens de consumo.
Em outra postagem no Facebook em 10 de maio, Anutin observou que as empresas tailandesas registradas para isso poderiam vender produtos de cannabis que continham menos de 0,2 tetrahidrocanabinol, ou THC, a parte da planta responsável por deixar as pessoas chapadas.
“Isso permitirá que as pessoas e o governo gerem mais de 10 bilhões de baht por ano em receita com maconha e cânhamo”, escreveu Anutin.
Kitty Chopaka, uma empresária de cannabis de Bangkok, disse à CNN que a lei deveria abrir caminho para as pessoas usarem a planta em chás ou sopas medicinais.
“Ainda será considerado crime se você não tiver uma receita legal e tiver que ser paciente de algum tipo de doença para que isso funcione. Só assim você poderá cultivar cannabis em casa e usá-la como quiser.”
Ela acrescentou que, embora o uso recreativo da droga permaneça ilegal, “fumar maconha vai acontecer, e não há como o [governo] impedir isso”.