magnata russo guerra Ucrânia sanções europa