Estilo

Tacada certeira

Empresário de origem britânica investe na criação do primeiro condomínio de golfe de Alagoas, a apenas 3km do litoral. Entre a compra do terreno de 550 mil m2 e os gastos com infraestrutura, ele já aplicou R$ 3 milhões no negócio.

Crédito: Thiago Laion

PRAZER E TRABALHO Apaixonado por golfe, Christopher Pontifex cuida de todos os detalhes do projeto, incluindo o desenho do campo (à dir.). “Meu sonho é ver isso aqui cheio de gente curtindo” (Crédito: Thiago Laion)

Há cinco anos, o empresário Christopher Pontifex, 78, decidiu investir num negócio diferente da sua área de atuação. À época dono de uma firma de catalisadores para a indústria de fibra de vidro, ele já estava encantado pelas belezas do litoral norte de Alagoas quando comprou uma fazenda de cocos, de 550 mil m2, na região. Por esse pedaço de terra, equivalente a cerca de 60 campos de futebol, pagou R$ 500 mil. Uma pechincha. “Tudo era só mato. Muitos coqueiros e um imenso matagal”, disse Pontifex, com um leve sotaque gringo. Filho de um casal de ingleses, ele nasceu no Recife, onde o pai era gerente de uma companhia de cigarros, mas cresceu e foi educado no Reino Unido, de onde voltou à capital pernambucana quando completou 18 anos. “Sempre gostei de investir em novos projetos, novas ideias”. E assim nasceu o plano de transformar a fazenda de cocos no primeiro condomínio de golfe de Alagoas, no município de Porto de Pedras, a 100km de Maceió.

Divulgação

O Tatuamunha Golf & Country acabou de ser lançado e já teve quatro dos seus 44 lotes vendidos. Nessa primeira etapa do empreendimento, há lotes de 2.500 m2 e de 3 mil m2, a um preço médio de R$ 300 mil cada. Pontifex quer atrair mais interessados e montou uma promoção na qual quatro lotes saem por R$ 500 mil. “Meu sonho é ver esse lugar cheio de gente feliz, curtindo a vida, jogando golfe”, afirmou o empresário, que mora em Itu (SP) e tem casa em Porto de Pedras. Com nove buracos, o campo já está finalizado e recebeu elogios da Federação Pernambucana de Golfe, responsável por oficilializar o lugar, já que em Alagoas não há associação da modalidade. O Tatuamunha terá, ainda, quadras de tênis, de beachtenis, piscinas, campo de futebol society e áreas preservadas de Mata Atlântica, com trilhas e mirantes com vista para o mar verde-esmeralda da região. Este é outro diferencial do lugar: bastam cinco minutos de carro para se chegar a um dos mais belos e tranquilos pedaços do litoral brasileiro. Entre obras de infraestrutura – retirada do matagal, limpeza, construção de açude, instalação elétrica, calçamento – e implantação do campo de golfe, Pontifex já investiu em torno de R$ 3 milhões. A previsão é de que as primeiras casas estejam de pé no primeiro semestre de 2021. Depois, é só preparar o taco.





+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia