Negócios

Supermercados Dia investiga suposta fraude em operações no Brasil e Espanha

Segundo reportagem de site espanhol, auditoria apontou prática de manobras contábeis irregulares por funcionários e gerentes da rede nos dois países

Supermercados Dia investiga suposta fraude em operações no Brasil e Espanha

A rede espanhola de supermercados Dia investiga a suposta participação de executivos do Brasil e Espanha em irregularidades contábeis. Segundo reportagem publica no site Las Provincias, o levantamento de dados teve início no ano passado para determinar a origem de ajustes contábeis de 2017 envolvendo as ações da companhia nos dois países. Não foram divulgados o valor do suposto esquema ou quantos funcionários estariam envolvidos.

A auditoria feita pela KPMG, de acordo com a reportagem, revelou a prática de manobras contábeis irregulares por funcionários e gerentes da rede na Espanha e no Brasil. Em nota, a KPM afirma que está impedida de se manifestar sobre casos envolvendo empresas auditadas ou que já foram auditadas pela firma. Segundo matéria do jornal Valor Econômico desta terça-feira (12), foram examinados os balanços de 2016 e 2017, com expectativa de finalizar todas as análises até o fim de março. A rede Dia mantém 1.172 lojas no Brasil e registrou vendas brutas de 1,6 bilhão de euros no ano passado. Entre 2014 e 2016, os relatórios anuais apontavam crescimento de 11% a 18% no faturamento em reais – muito acima do desempenho do mercado.

Segundo o jornal, desde o início das investigações, executivos deixaram seus cargos na subsidiária brasileira. No fim do ano passado, o presidente do Dia no Brasil, Freddy Wu, há cerca de sete anos na função, foi transferido para a filial na Argentina. O novo CEO é Marin Dokozic, ex-presidente da rede alemã Lidl. Houve ainda duas alterações nas diretorias comercial e financeira.

A rede de supermercados também anunciou a demissão de 2,1 mil trabalhadores na Espanha e na subsidiária Twins Alimentación, após registrar perdas de 352 milhões de euros no ano passado e entrar em falência técnica. O CEO, Borja de la Cierva, reconheceu que 2018 foi “um ano turbulento para o Dia , provavelmente o mais difícil desde que a empresa foi fundada, há mais de 40 anos.”

Na última semana, o fundo de investimentos LetterOne, controlado pelo bilionário russo Mikhail Fridman, ofereceu € 417 milhões (aproximadamente R$ 1,74 bilhão) para assumir a rede espanhola de supermercados Dia. A companhia já é dona de 29% da rede, sendo que a maior parte das ações foi adquirida no ano passado, a € 4 por ação. Agora, a LetterOne quer adquirir o resto por € 0,67 por papel.