Edição nº 1147 18.11 Ver ediçõs anteriores

Su casa, mi casa…

A crise de moradia na Califórnia sensibilizou até o Facebook, a gigante de tecnologia cujo quartel-general fica em Menlo Park, a alguns quilômetros de San Francisco. O Face vai doar US$ 1 bilhão ao longo de uma década, num pacote de subsídios, empréstimos e compra de terrenos para aliviar a alta demanda por habitação na região. A ideia é construir cerca de 20 mil residências para classe média e baixa. Não é a primeira gigante de tecnologia a participar do esforço contra a crise, que, em parte, foi criada por elas – a maioria localizada na Bay Area, o entorno da Baía de San Francisco. Em junho, o Google já havia garantido US$ 1 bilhão para campanha semelhante. A Microsoft ofereceu em janeiro US$ 500 milhões para construção de moradias populares em Seattle, sua cidade-sede, que sofre do mesmo problema.

(Nota publicada na Edição 1144 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Apple e Goldman Sachs investigados por suposta discriminação à mulher

Veja bem o que você vai postar, porque o assunto pode atrair a atenção da justiça. Pelo menos é o que aconteceu com o empresário e [...]

Globo dá um sacode

A Globo, maior grupo de mídia eletrônica do Brasil, anunciou dia 8 um processo de reestruturação que vai fundir em uma só empresa a TV Globo, os canais pagos da Globosat, a plataforma Globoplay, a Globo.Com e a Som Livre. A ideia, chamada Uma Só Globo, é não ficar para trás num mundo povoado por […]

Bye bye, restaurante

Nos próximos 10 anos, a tecnologia estará tão presente nos serviços de alimentação que a imagem de um restaurante tradicional vai ser coisa de parque temático. É o que se depreende da leitura do relatório Restaurant Industry 2030, da Associação Nacional dos Restaurantes americana. Na verdade isso já está acontecendo, dado o crescimento dos restaurantes […]

O fim dos influenciadores digitais?

A julgar pelas conclusões que o portal MediaPost tirou da recente pesquisa da consultoria Kantar sobre hábitos de consumo, os influenciadores digitais vão ficar a ver navios. Ou pelo menos não vão ter mais aquela audiência monumental. Em sua página Marketing Daily, o portal argumenta que a Geração Z, dos nascidos entre meados dos anos […]

Brasil mal no ranking de skills

(Nota publicada na Edição 1147 da Revista Dinheiro)
Ver mais