Economia

Startups já idealizam home office permanente após fim da pandemia

Crédito: StatupStockPhotos/Pixabay

Em tempos de coronavírus, home office evita a paralisação total das empresas e mantém produtividade (Crédito: StatupStockPhotos/Pixabay)


Uma pesquisa feita com fundadores de 517 startups nos Estados Unidos indicou que 65% deles não liberaria a volta das equipes aos escritórios caso os governos afrouxassem hoje as medidas de isolamento social e cerca de 71% afirmaram que manteriam seus funcionários em home office.

O relatório do The Kung Group, empresa especializada em treinamento e liderança, mostrou que 60% dos CEOs entrevistados afirmaram que não houve impacto na produtividade de seus funcionários e pelo menos 16% sentiram que a produção aumentou.

+ Veja cinco dicas de liderança para conduzir as equipes durante home office
+ Home office é aprovado por 80% dos gestores de empresas no País
+ Sem casos de coronavírus, Supremo autoriza ‘home office’ até janeiro de 2021

O portal Fast Company indica que 66% dos empresários estão pensando em reduzir o tamanho ou deixar de alugar um escritório, já que uma média de 70% dos postos de trabalho das empresas podem atuar remotamente.

A pesquisa indicou que 61% deles também não seriam contra a volta dos funcionários ao trabalho físico apenas quando se sentissem confortáveis com isso e que 67% indicaram adotar práticas de higienização mais rígidas no ambiente corporativo.