Artigo

Startup usa tecnologia para auxiliar postos a reduzir custos com cartões de frotas

Crédito: Danilo Verpa / Folhapress

A plataforma Gasola visa criar uma relação comercial direta entre empresas que possuem frota e os postos de combustíveis (Crédito: Danilo Verpa / Folhapress)



O aumento constante no preço dos combustíveis tem afetado a cadeia logística e produtiva no Brasil. No caso do diesel, por exemplo, a alta nas refinarias superou os 100% desde o início de 2021. Passou de R$ 2,02 em janeiro do ano passado, para R$ 4,91 no último mês de maio. De olho na situação, o empresário Ricardo Lerner criou a Gasola, startup que visa conectar empresas que possuem frota a postos de combustíveis, permitindo uma relação comercial direta. “Acreditamos que quanto mais próxima e direta essa relação, melhores negociações são geradas.”

O resultado da empreitada tem se mostrado satisfatório em pouco mais de dois anos de mercado. Desde o início da pandemia, o crescimento da startup chegou a 500%, com R$ 275 milhões transacionados em 2021, e a projeção de movimentar R$ 1 bilhão este ano. “Atuamos em mais 700 postos espalhados pelo Brasil, 185 transportadoras e transacionamos cerca de R$ 30 milhões mensais em combustível”, disse.

A estratégia da Gasola é garantir maior ganho aos postos de combustíveis e ao mesmo tempo reduzir o principal gasto das empresas, o combustível. Apesar das altas sucessivas dos preços nas bombas, os estabelecimentos comerciais têm baixa margem de lucro, principalmente quando o abastecimento é feito por meio de cartões de frota pelos caminhoneiros. Neste tipo de transação, o varejista paga uma taxa a cada operação realizada. O valor fica entre 3% e 8%. Para complicar os postos ainda precisam esperar pelo prazo de reembolso, que gira entre 30 e 40 dias, e corrói até 50% da margem de lucro de cada venda. Diante deste cenário, o preço pago por meio desse pagamento é de R$ 0,20 a R$ 0,75 mais caro do que o realizado de maneira direta, por cartão de débito ou dinheiro.

Rendimentos de brasileiros caíram 8,7% no primeiro trimestre de 2022




A relação direta impacta positivamente o ecossistema de abastecimentos corporativos, que por meio da utilização da plataforma, consegue descontos de até R$ 0,40 por litro abastecido na comparação com o cartão de frota. O motorista cadastrado pela transportadora acessa o aplicativo e gera um token. O frentista verifica as informações e valida o abastecimento. Uma conta corrente digital entre a empresa e o varejista é criada para que possa ocorrer o pagamento direto. “Assim, mesmo o posto dando desconto para a transportadora, é possível aumentar a margem de venda dele, simultaneamente”, afirmou Lerner. Não há custo de adesão à plataforma ou qualquer tipo de cobrança por manutenção ou equipamento. Além disso, a Gasola dispensa a instalação de softwares.