Negócios

Startup de comida saudável Liv Up recebe R$ 90 milhões

Startup de comida saudável Liv Up recebe R$ 90 milhões

A startup Liv Up, de comida saudável, recebeu um aporte de R$ 90 milhões, liderado pelo fundo de investimento americano ThornTree Capital Partners e participações dos fundos Kaszek, Spectra e Endeavor Catalyst. O dinheiro será usado na expansão geográfica da empresa no País e na ampliação do portfólio, que passará a oferecer refeições voltadas ao público infantil, bem como saladas e bebidas.

O presidente e cofundador da empresa, Victor Santos, conta que desde a fundação da Liv Up, em 2016, tem recebido retorno dos clientes, sobretudo de mães em busca de alimentação saudável – e prática – para os filhos. Com base nessa demanda, ele decidiu criar uma linha voltada para o lanche escolar das crianças e comida para bebês. “Estamos construindo uma marca com foco na opinião e necessidade de nossos clientes”, diz o executivo.

Atualmente a empresa atende 30 cidades no Brasil, nas Regiões Sul e Sudeste, além da Brasília. A partir do próximo trimestre, vai estrear na Região Nordeste, onde começará a atender às cidades de Recife, Fortaleza e Salvador. A startup também vai iniciar operação em Florianópolis e Vitória.

Além da expansão geográfica e do portfólio, a Liv Up também vai estrear este ano um serviço de restaurantes para operação de delivery. Serão três unidades em São Paulo, com planos para expandir para outros locais. “Estamos num ritmo de crescimento muito acelerado, triplicando o tamanho da empresa a cada ano”, diz Santos. Segundo ele, a empresa que começou com cinco pessoas e funcionava num espaço de 100 m², hoje tem 450 pessoas e dez centros de distribuição que fornecem 250 mil refeições por mês. Até o fim do ano, serão 14 centros.

Com um apelo saudável, a Liv Up aposta especialmente no aumento dos ingredientes orgânicos em seus pratos para cativar o público. Cerca de 70% dos legumes e vegetais que hoje compõem as refeições feitas pela empresa têm esse “selo natural”. “Temos 20 famílias parceiras que produzem mais de 30 toneladas de ingredientes orgânicos todos os meses”, diz Santos. A expectativa dele é que a empresa fature R$ 100 milhões neste ano.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.