Giro

Spotify remove música de Neil Young após ultimato sobre podcast de Joe Rogan

Spotify remove música de Neil Young após ultimato sobre podcast de Joe Rogan

Neil Young faz apresentação em Washington

(Reuters) – A música de Neil Young está sendo removida do serviço de streaming Spotify, depois que o cantor e compositor se opôs a que suas músicas fossem reproduzidas na mesma plataforma que oferece o podcast de Joe Rogan, anunciaram a empresa e o músico nesta quarta-feira.



Nesta semana, Young divulgou uma carta endereçada ao seu empresário e à gravadora Warner Music Group, exigindo que o Spotify não carregasse mais sua música porque ele disse que Rogan espalha informações falsas sobre vacinas contra Covid-19.

Na quarta-feira, o cantor de “Heart of Gold” e “Rocking In the Free World” agradeceu à sua gravadora por “estar comigo na minha decisão de retirar todas as minhas músicas do Spotify” e encorajou outros músicos a fazerem o mesmo.

“O Spotify tornou-se lar de desinformação sobre a Covid, ameaçando vidas”, afirmou ele em seu site. “Mentiras sendo vendidas por dinheiro.”

A empresa sueca disse que trabalhou para equilibrar “segurança para ouvintes e liberdade para criadores” e removeu mais de 20.000 episódios de podcast relacionados à Covid-19 de acordo com suas “políticas de conteúdo detalhadas”.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!



“Lamentamos a decisão de Neil de remover sua música do Spotify, mas esperamos recebê-lo de volta em breve”, disse o Spotify em comunicado.

Rogan, de 54 anos, é o apresentador do “The Joe Rogan Experience”, podcast bem classificado do Spotify, que detém os direitos exclusivos do programa.

Ele tem provocado polêmica com suas opiniões sobre a pandemia, mandatos governamentais e vacinas para controlar a propagação do coronavírus.

No início deste mês, 270 cientistas e profissionais médicos assinaram uma carta pedindo ao Spotify que tomasse medidas contra Rogan, acusando-o de espalhar falsidades no podcast.

Young, 76, disse que o Spotify foi responsável por 60% do streaming de sua música para ouvintes em todo o mundo. A remoção é “uma grande perda para minha gravadora”, declarou ele.

(Reportagem de Lisa Richwine e Dawn Chmielewski em Los Angeles e Yuvraj Malik em Bengaluru)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702)) REUTERS AC

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI0P135-BASEIMAGE