Negócios

Spotify registra mais de 100 milhões de usuários pagos e queda no valor das ações

Companhia ainda registrou receita de 1,51 bilhão de euros, superando as estimativas dos analistas de 1,47 bilhão de euros

Spotify registra mais de 100 milhões de usuários pagos e queda no valor das ações

Companhia sueca Spotify é lider de música por streaming - AFP/Arquivos

O Spotify anunciou 100 milhões de assinantes premium e se tornou o primeiro serviço de streaming de música a quebrar essa marca. Em relatório enviado para analistas e investidores nesta segunda-feira (29), a Spotify Technology S/A, companhia que controla o aplicativo, informou que incluiu quatro milhões no primeiro trimestre de 2019, número acima dos 3,3 milhões previstos pelo mercado. No mesmo período do ano passado eram 75 milhões de clientes pagos.

Apesar da marca positiva, o serviço também informou uma desvalorização de US$ 0,79 por ação, contra os US$ 0,41 esperados pelos analistas. O tombo maior que o esperado desvalorizou os papéis da companhia em 2,5% até o fim da manhã desta segunda.

Também foi reportado o aumento de 33% na receita, passando para 1,51 bilhão de euros, superando as estimativas dos analistas de 1,47 bilhão de euros, segundo dados do IBES da Refinitiv, publicou a Reuters.

A marca mantém 217 milhões de usuários mensais ativos no mundo, índice pouco abaixo dos 218,6 milhões esperados pelo mercado. O Spotfy mira em novos mercados, principalmente na Índia, Oriente Médio e Norte da África para aumentar sua base de ouvintes. Somente no país asiático o serviço somou 2 milhões de usuários desde a expansão das operações, em janeiro deste ano.

O Spotify é líder isolado no streaming de música, com quase o dobro de clientes que a Apple Music, a segunda colocada, e os serviços da Amazon e YouTube. De acordo com a Bloomberg, parte do aumento de usuários premiun é reflexo de uma série de parcerias com outras empresas, como a Hulu, Samsung e Google, este último responsável pelo YouTube.

A empresa espera aumentar para até 110 milhões de usuários pagos no fim deste trimestre e parte deste montante deve vir do foco em podcasts. A empresa investiu cerca de US$ 400 milhões na aquisição de líderes do setor esperando que os programas se tornem cada vez mais rentáveis.