Negócios

SpaceX, empresa espacial de Elon Musk, demitirá 10% dos funcionários

A justificativa interna para os cortes é de que a empresa precisa de menos custos para continuar o desenvolvimento de novos projetos. Cerca de 6 mil funcionários sairão da SpaceX

SpaceX, empresa espacial de Elon Musk, demitirá 10% dos funcionários

O foguete Falcon 9 da SpaceX, durante a preparação para um lançamento no Centro Espacial Kennedy, na Flórida, em 17 de fevereiro de 2017 - AFP

Empresa de turismo e exploração espacial fundada por Elon Musk, a SpaceX irá demitir 10% de sua força de trabalho, segundo email interno enviado pela presidente Gwynne Shotwell, que o Los Angeles Times teve acesso. A justificativa interna para os cortes é de que a empresa precisa de menos custos para continuar operando de maneira a entregar para seus consumidores novas espaçonaves e internet diretamente do espaço. No total, cerca de 6 mil funcionários iriam embora.

A principal fonte de renda da SpaceX vem do lançamentos de satélites comerciais e de segurança nacional, além de dois contratos com a NASA e acordos multibilionário com a Estação Espacial Internacional para o envio de cargas e criação de uma capsula para o envio de astronautas para a estação – acordo que vale cerca de US$ 2,6 bilhões. Em 2018,  empresa aumento sua produção de satélites, de 18 para 21.

No último inverno, a SpaceX demitiu alguns gerentes por desavenças em relação ao ritmo e testes do programa Starlink, de integração de satélites.

No início do mês, a empresa realizou um encontro privado para angariar fundos da empresa na forma de título de equity e outras ofertas, e segundo a agência reguladora de movimentações econômicas dos Estados Unidos, a rodada levantou cerca de US$ 500 milhões. Segundo a Equidate, a SpaceX vale cerca de US$ 31 bilhões.