Ciência

Solução para perda de habitat dos coalas está em seus excrementos

Solução para perda de habitat dos coalas está em seus excrementos

Pesquisadores da Austrália descobriram uma forma de salvar os coalas, vulneráveis à perda de seu habitat, especialmente por seus estritos hábitos alimentares, com a ingestão de seus próprios excrementos. - AFP/Arquivos

Pesquisadores da Austrália descobriram uma forma de salvar os coalas, vulneráveis à perda de seu habitat, especialmente por seus estritos hábitos alimentares, com a ingestão de seus próprios excrementos.

Uma equipe de especialistas utilizou comprimidos fecais ingeridos por via oral para alterar os micro-organismos do intestino destes marsupiais, o que lhes permitiu comer uma gama mais ampla de eucaliptos.

O trabalho foi descrito em um artigo publicado nesta terça-feira na revista Animal Microbiome.

Michaela Blyton, da Faculdade de Química e Biociências Moleculares da Universidade de Queensland, principal autora do estudo, a ideia surgiu após uma devastadora queda da população de coalas em Cape Otway, Victoria.

“Em 2013, a população de coalas atingiu densidades muito altas, o que os levou a desfolhar sua principal fonte de alimento”, o eucalipto viminalis, disse Blyton.

Em seguida, 70% da população de coalas morreu de inanição, sem se alimentar de outras espécies de eucalipto menos apetitosas, apesar de isto ser possível.

“Isto levou a mim e a meu colega, o doutor Ben Moore, da Universidade Western Sydney, a nos perguntar se os micro-organismos presentes nos intestinos dos coalas estavam limitando as espécies comestíveis, e se poderíamos obter uma ampliação de sua dieta com inoculações fecais”.

A equipe capturou coalas selvagens que se alimentavam exclusivamente do eucalipto viminalis e os fizeram ingerir capsulas de excrementos de coalas que comiam outros tipos de eucalipto.

As cápsulas alteraram os biomas dos coalas e permitiram ampliar sua dieta.

“Os coalas naturalmente podem ter problemas para se adaptar a novas dietas quando as árvores com as quais se alimentam estão esgotadas ou após sua mudança de habitat”, disse Blyton.

“Este estudo é uma demonstração conceitual para o uso do material fecal em cápsulas para introduzir e estabelecer, com sucesso, novos micróbios nos intestinos dos coalas”.