Agronegócio

Soja cai em Chicago com clima nos EUA e temores por demanda da China, milho sobe

Soja cai em Chicago com clima nos EUA e temores por demanda da China, milho sobe

Lavoura de soja Allen County, em Indiana



Por Mark Weinraub

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros de soja negociados nos EUA caíram nesta quarta-feira, pressionados por previsões meteorológicas que indicam condições favoráveis ao progresso no final do plantio americano, bem como preocupações com a demanda da China.

Agricultores nas principais áreas de cultivo dos Estados Unidos, como Dakota do Norte e Minnesota, finalmente conseguiram acessar os campos depois que a chuva e o clima frio levaram o plantio muito além do cronograma típico.

Os futuros de trigo da bolsa de Chicago também estavam mais fracos, com o mercado recuando em meio a relatos de que a Rússia estava pronta para permitir corredores humanitários para remessas de alimentos da Ucrânia.



Mas os futuros de milho fecharam firmes, após negociações em território negativo durante grande parte do dia, com uma rodada de compras técnicas puxando o mercado de seu menor nível em quase sete semanas.

Na bolsa de Chicago, a soja para julho fechou em queda de 12 centavos a 16,81 dólares por bushel, com o óleo de soja e farelo também registrando fechamentos mais baixos.

Espera-se que a queda na demanda por óleo de soja na China reduza o consumo da oleaginosa no maior usuário do mundo, já que os bloqueios para impedir a propagação da Covid-19 fecharam restaurantes e cantinas.


O milho de julho terminou em alta de 50 centavos a 7,7225 dólares por bushel.

O trigo soft vermelho de inverno caiu 6,50 centavos para 11,4825 dólares por bushel.

(Por Mark Weinraub em Chicago, reportagem adicional de Rajendra Jadhav em Mumbai e Sybille de La Hamaide em Paris)

tagreuters.com2022binary_LYNXNPEI4O175-BASEIMAGE







Tópicos

Updated