Edição nº 1121 17.05 Ver ediçõs anteriores

Skate Chanel por 30 mil reais

Skate Chanel por 30 mil reais

Há algumas semanas, o mundo da moda se despediu de Karl Lagerfeld, a mente criativa da Chanel. Mas o toque de elegância dele ainda pode ser visto na coleção Chanel Primavera / Verão 2019. A linha estampa pela primeira vez sua grife em acessórios esportivos como skates e pranchas de surf. O skate, confeccionado em madeira lacada preta e enfeitado com uma fita adesiva brilhante, custa US$ 7,7 mil (RS$ 29.775,00). Já a prancha, na cor prata, feita de alumínio, vidro e poliuretano sai por US$ 8,9 mil (RS$ 34.406,00). Os acessórios estão disponíveis numa loja online da Chanel bem perto de você.

(Nota publicada na Edição 1112 da Revista Dinheiro)


Mais posts

O melhor restaurante da América Latina é do Peru

Se você está com viagem marcada para o Peru, acrescente mais uma parada ao roteiro. O restaurante local Maido foi eleito o melhor da [...]

Dalmore L’ Amina, o single malt de meio milhão

Uma garrafa do single malt escocês Dalmore foi arrematada por R$ 560 mil em leilão na Sotheby’s de Londres. A destilaria nas highlands [...]

O rei dos vinhos e o vinho dos reis

Esqueça a região francesa da Borgonha e a italiana da Toscana. O vinho mais caro do mundo é produzido na Hungria e já foi chamado de “o [...]

Regent Seven Seas promete cruzeiro mais luxuoso do mundo

Em 2016, a Regent Seven Seas inaugurou, em uma cerimônia que recebeu o príncipe Albert II e a princesa Charlene, de Mônaco, o Regent [...]

Um relógio de R$ 3 milhões

A Christie’s leva a leilão no dia 27 de maio, em Hong Kong, uma série de relógios exclusivos das marcas Rolex, Jacob & Co e Richard [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.