Finanças

Sinais de retomada da economia limitam queda do Ibovespa por cautela externa

A Bolsa brasileira iniciou o pregão em alta, impulsionada pelo crescimento da economia no terceiro trimestre, que sugere retomada da atividade à frente. No entanto, a valorização perdeu força e o Ibovespa passou a transitar perto da estabilidade diante do impasse comercial entre Estados Unidos e China, além de novas ações protecionistas do presidente norte-americano, Donald Trump.

Às 11h01, o Ibovespa cedia 0,17%, aos 108.747,95 pontos, na mínima, após subir acima dos 109 mil pontos.

Essa análise quanto a avanço da economia do Brasil ganhou respaldo do Produto Interno Bruto (PIB) do período, que cresceu 0,6% em relação ao segundo trimestre, e subiu 1,2% na comparação com o terceiro trimestre do ano passado. Os dois resultados superaram as medianas, de 0,4% e de 1,0%, respectivamente, das estimativas na pesquisa do Projeções Broadcast.

“O dado veio acima do esperado pelo mercado, reforça a visão e expectativa de melhora para 2020”, diz o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos.

O estrategista-chefe da Levante Ideias de Investimentos, Rafael Bevilacqua, acrescenta que o desempenho favorável dos investimentos, do consumo das famílias e da indústria no PIB do terceiro trimestre são bons indicativos de retomada da atividade. “É uma boa sinalização e pode reforçar o otimismo nas ações de consumo. Ontem, já tivemos os dados da ViaVArejo sobre as vendas na Black Friday, que foram positivos. Parece que as coisas estão entrando no eixo”, avalia.

Entretanto, um operador pondera que o investidor segue monitorando o exterior, onde as bolsas europeias e os índices futuros de Nova York pioraram após as palavras ditas mais cedo pelo presidente dos EUA. Donald Trump disse que o país irá tarifar os vinhos franceses e “todo o resto”. Além disso, afirmou que as negociações com a China estão indo bem, mas que não há um prazo para um acordo comercial com Pequim.

Na segunda-feira, as bolsas já haviam registrado perdas, depois de Trump ter reacendido tensões comerciais ao decidir restabelecer tarifas a importações de aço e de alumínio do Brasil e da Argentina. Contudo, o Ibovespa foi na contramão e subiu 0,64%, fechando aos 108.927,83 pontos. Na ocasião, analistas disseram que um dos motivos para os ganhos na B3 seriam uma antecipação de crescimento confirmado nesta terça pelo PIB do terceiro trimestre.

Diante de preocupações com a guerra comercial, o petróleo passou a cair no exterior, empurrando as ações da Petrobras para baixo, depois de iniciaram o pregão com valorização.

Tópicos

Bovespa