Siemens não perde a esperança

Siemens não perde a esperança

De crises, economia bagunçada e política que se assemelha a um espetáculo tragicômico os italianos entendem bem. Pode ser por isso que o romano Daniel Scuzzarello, CEO da Siemens Digital Industries Software para a América Latina, está confiante de que as coisas vão começar a melhorar no Brasil.

À frente da divisão de softwares industriais da companhia alemã que faturou € 57 bilhões em 2020 (ano fiscal encerrado em outubro), ele garante que a companhia está pronta para enfrentar os desafios das empresas brasileiras na transformação digital e aumento da produtividade.

A chamada indústria 4.0 é, segundo ele, o único caminho para que as empresas – de qualquer porte e ramo de atividade – possam sobreviver daqui para frente. “Muitas empresas aumentaram seus investimentos porque a digitalização encurta o tempo de qualquer lançamento e nova tecnologia”, disse o executivo. Agora, certo de que a economia vai voltar a crescer, Scuzzarello afirma que a Siemens está pronta para a retomada. “Quando a pandemia chegou forte no País, nossa prioridade foi a de não deixar ninguém para trás, seja em não demitir ninguém quanto na agilidade em fornecer soluções para os clientes se adaptarem à nova realidade”, afirmou.

Uma das grandes apostas foi a parceria firmada com a empresa brasileira TrueChange para expandir sua presença em low-code no País. Em outras palavras, a intenção da Siemens é permitir aos seus clientes o desenvolvimento de ferramentas para acelerar a digitalização.



(Nota publicada na edição 1205 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Mais posts

A era da resiliência

Estudo da Fundação Dom Cabral e WayCarbon, especializada em projetos de baixo carbono, avalia impacto da pandemia nos negócios. Quem participou? AES Tietê , Ambev, Ecorodovias, EDP, Itaú, Microsoft, MRV, Natura, Telefônica e Tigre. Objetivo Mensurar as transformações causadas pela pandemia no meio corporativo. Principais constatações 1. Liquefação das fronteiras As empresas estão substituindo uma […]

Construção em alta

Braço de construção civil do Grupo Rodobens, a construtora e incorporadora RNI registrou um salto de 220% no último trimestre do ano passado e com vendas gerais de R$ 271 milhões. A empresa também atingiu R$ 6,8 bilhões em terrenos para novas construções (landbanking). Segundo Carlos Bianconi, CEO da RNI, o programa Casa Verde e […]

Contratam-se grávidas

A representatividade feminina está em alta no mercado de trabalho. Na Qualicorp, maior administradora de planos de saúde do Brasil, o [...]

A força do plástico verde

A Activas, uma das maiores distribuidoras de plásticos do Brasil, com receita de R$ 700 milhões no ano passado, fechou parceria com a americana Earth Renewable Technologies (ERT) para oferecer no País matérias-primas ou resinas biodegradáveis. A Activas terá a exclusividade no Brasil de distribuição de plásticos da ERT, feitos 100% a partir de fontes […]

Da nuvem para a bolsa

O forte movimento de migração de sistemas empresariais para a nuvem impulsionou o crescimento da V8 Consulting, especializada em [...]
Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.