Giro

Shoppings do País já reduzem horário

Crédito: Divulgação

Coronavírus levou ao fechamento de lojas e shoppings (Crédito: Divulgação)

A Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) e a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) recomendaram aos associados com empreendimentos localizados em áreas com casos confirmados que funcionem, a partir desta quarta-feira, 18, em horário reduzido, das 12 às 20 horas. Esse horário normalmente é usado apenas em feriados e domingos. Ainda na terça, estabelecimentos de São Paulo, Porto Alegre, do Grande Recife, de Natal, de Belo Horizonte e Campinas (SP) anunciaram mudanças.

A Multiplan, responsável em São Paulo por Morumbi e Anália Franco, adotará a restrição. O mesmo vale para a brMalls, com 32 shoppings em 12 cidades pelo País.

Aliansce Sonae anuncia redução de horário de funcionamento de shoppings

Abrasce recomenda que shoppings funcionem em horário reduzido

Ainda na capital terão redução de horário pelo menos o Iguatemi, o JK Iguatemi, o Ibirapuera e o Cidade Jardim. Entre filiados da Alshop paulistanos, estão o Lar Center, o Cidade Jardim, o Light e o D. Até as 20 horas da terça-feira, não foi possível contactar todos.

A ideia é reduzir riscos de propagação da doença e se alinhar com o que o Executivo em diversos locais vem sugerido. Para os shoppings em áreas que não tiveram nenhum caso confirmado, a entidade orienta que façam um monitoramento da evolução e compartilhem informações com a Abrasce.

Inicialmente, a expectativa é de que a medida não atinja possíveis serviços essenciais que funcionem nesses locais, incluindo bancos, farmácias, laboratórios e supermercados. Indagado sobre a possibilidade de aumento da ocupação de shoppings (por pessoas em home office e estudantes, por exemplo), o ministério só havia recomendado que esses estabelecimentos ampliassem a oferta de locais para lavar as mãos e de álcool em gel.

Na terça, a Associação da Noite e Entretenimento Paulistano (Anep), que reúne restaurantes e boates na capital, enviou carta ao governador João Doria e ao prefeito Bruno Covas pedindo um decreto que estabeleça o fechamento dos estabelecimentos “o mais rápido possível”. A Anep também pleiteia a suspensão de taxas de iluminação e água, isenção de tributos e a criação de uma linha de crédito. A carta é assinada por 129 estabelecimentos.

Procurados pelo jornal O Estado de S. Paulo para comentar a carta da Anep, o governo estadual e a Prefeitura não responderam.

Férias

A partir da próxima segunda, o Sindicato dos Comerciários de São Paulo vai dar férias coletivas a 500 funcionários por 15 dias.

Segundo Ricardo Patah, presidente da entidade, o sindicato vai se comunicar com os trabalhadores do comércio por meio de redes sociais e terá um esquema de plantão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?