Sete dicas para reduzir o impacto da fuga de talentos de TI na sua empresa

Sete dicas para reduzir o impacto da fuga de talentos de TI na sua empresa

Desenvolvedores ("devs") estão em alta no mercado de trabalho. Entenda o que fazer para "blindá-los"

“Roubaram meu Dev. E agora?”. Vivemos um momento de profunda carência de recursos humanos na área de tecnologia, o que provoca forte impacto em diferentes indústrias e leva a uma “guerra por recursos” que aumenta o turnover e acelera, muitas vezes de forma inadequada, a trajetória de alguns profissionais da área. Diversos fatores contribuem para isso.



O crescente número de negócios em transformação digital faz explodir a demanda pelos profissionais de TI que estão no mercado. Os programadores e desenvolvedores de softwares (Devs, como são conhecidos) ficaram com a agenda lotada. Além disso, a pandemia viabilizou a possibilidade de trabalhar para clientes de forma remota, inclusive atendendo empresas de diferentes países. Com o perfil criativo de alto desempenho dos brasileiros, o ataque global aos nossos talentos é inevitável. Isso levou muita gente a deixar os modelos tradicionais para atuar como freelancer, sem dedicação exclusiva.

As oportunidades de crescimento, melhor situação financeira e qualidade de vida pesam nessa decisão, mas não é só isso. Talentos buscam conexão com o propósito das empresas. Em muitos casos – principalmente na área de tecnologia – esse anseio está distante da realização.

Ter autonomia, liberdade e flexibilidade é algo tão valorizado quanto ter gestores parceiros e inspiradores ou um ambiente de confiança que ofereça acolhimento, apoie a criatividade e esteja aberto à diversidade E o mais importante: capacitação, evolução, aprendizado.

Diante de tudo isso, como proteger sua empresa e torná-la mais atrativa?



  • Blinde seus talentos. Faça avaliações recorrentes e monte um sistema de planejamento de pessoas capaz de identificar e reconhecer essas joias muitas vezes escondidas.
  • Amplie a meritocracia. Todo jovem talentoso tem calafrios com a falta de reconhecimento e valorização. Em tecnologia, isso é ainda mais forte.
  • Crie propósito no time de TI, aproxime-o dos objetivos finais da empresa e também dos clientes.
  • Dê liberdade, autonomia e estimule o empreendedorismo.
  • Busque reforçar uma visão de ganho de médio e longo prazo. Não é fácil, mas é algo que ajuda a formar nos talentos um horizonte estimulante.
  • Crie programas para trazer jovens em início de carreira e investir na sua formação. Eles substituirão os que forem embora e terão um vínculo mais forte com o projeto e a empresa.
  • Foque em capacitar, capacitar e capacitar. Jovens talentos de tecnologia dão muito valor à oportunidade de crescer e se desenvolver, sabem que é uma área de violenta transformação e que se não focarem em seu desenvolvimento, estarão obsoletos em breve.

Não há saída fácil nem bala de prata. Por outro lado, a opção de mergulhar em uma guerra de salários somente destruirá seu time e sua cultura, e está fadada ao insucesso. Se essa guerra por talentos não é uma das prioridades do seu RH, ou você está em outro planeta ou já está indo para o fracasso e não percebeu. Então, seja bem-vindo à nova era de transformação cultural – não mais transformação digital – como condição para continuar existindo.


Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?


Sobre o autor

Heverton Peixoto é CEO-Presidente da Wiz. Graduado em Engenharia Civil, com MBA em Corporate Finance no Insead, foi consultor da Mckinsey & Company de 2008 a 2013 em projetos estratégicos no mercado bancário e de seguros da América Latina.


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright ©2021 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.