Política

Servidores do Rio marcam protesto na volta ao trabalho da Alerj


No dia em que a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) inicia os trabalhos de 2017, a expectativa é de protestos contra as medidas de ajuste fiscal do Estado, que serão votadas nos próximos dias. A cerimônia de abertura do ano legislativo está marcada para as 13h, mas uma hora antes o Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais do Rio (Muspe) inicia protesto na frente do Palácio Tiradentes, sede do Legislativo, no centro. O prédio está cercado por grades e será protegido por 500 agentes (PMs e integrantes da Força Nacional de Segurança). No ano passado, protestos terminaram em confrontos e pânico.

“Somos contra a privatização da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgoto) e todos os demais projetos que compõem esse pacote de medidas, que chamamos de ‘pacote da corrupção’. Se não fosse a corrupção de quem governou o Estado nos últimos anos, não estaríamos em situação tão dramática”, afirmou Ramon Carrera, um dos organizadores do ato desta quarta-feira, dia 1º.

Segundo ele, o movimento defende outras medidas de ajuste, como a revisão das isenções fiscais concedidas pelo Estado. O sindicalista afirmou que o protesto “será ordeiro, mas não sabe se será pacífico”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.