Economia

Serasa: pedidos de recuperação judicial recuam 7% em agosto na comparação anual

Crédito: Pexels

Em agosto, as requisições de falências também apresentaram baixa, diminuindo de 125 para 102 (-18,4%) na comparação com agosto de 2019 (Crédito: Pexels)

De acordo com o Indicador de Falências e Recuperação Judicial, mantido pela Serasa Experian, agosto de 2020 registrou dez pedidos de recuperação judicial a menos entre micro, pequenas, médias e grandes empresas, na comparação com o mesmo mês do ano passado. O recuo foi de 7%, após queda de 142 para 132 pedidos na comparação interanual. Ante o mês anterior, julho, agosto teve queda de 2,2% no número de recuperações judiciais requisitadas.

As grandes empresas foram as que apresentaram maior diminuição no índice, com queda de 25% nos requerimentos, enquanto as médias empresas registraram recuo de 20,8%. Já as micro e pequenas empresas tiveram leve alta de 1% no número de pedidos.

+ Ícone paulistano, Maksoud Plaza pede recuperação judicial
+ Certidão negativa de débito não é requisito obrigatório para recuperação judicial
+ Oi aprova mudança em plano de recuperação judicial 

Para o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, os negócios de maior porte estão se recuperando com mais rapidez pois possuem maior fôlego de capital de giro. Segundo ele, a renegociação entre credores e devedores é o principal fator que contribui para a queda do índice.

Na análise por setor, houve baixa das solicitações em todos os segmentos listados, exceto no Comércio, que elevou os pedidos de 24 para 31 na comparação ano a ano. “O setor do Comércio é formado por muitas micro e pequenas empresas, que por terem menor estabilidade financeira são as mais impactadas em momentos de incertezas econômicas.”, explica Rabi.

Falência

Em agosto, as requisições de falências também apresentaram baixa, diminuindo de 125 para 102 (-18,4%) na comparação com agosto de 2019. Quando feita a análise por porte, as micro e pequenas empresas somam 54 solicitações, enquanto médias e grandes registram ao todo 48 pedidos, 24 por segmento.

Quanto aos setores da atividade, Serviços liderou o número de pedidos de falência (49), seguido de Indústria (33) e Comércio (20). O setor primário não registrou pedidos de falência no mês passado, segundo a Serasa.

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?