Negócios

Ser Educacional tem lucro líquido ajustado de R$ 36,2 mi, queda de 18,8%

Ser Educacional tem lucro líquido ajustado de R$ 36,2 mi, queda de 18,8%

A Ser Educacional encerrou o terceiro trimestre com lucro líquido ajustado (por efeitos não recorrentes) de R$ 36,185 milhões, queda de 18,8% sobre o mesmo período do ano anterior, quando o lucro totalizou R$ 44,557 milhões. Já o lucro líquido comparável, com os resultados dos trimestres anteriores do exercício de 2018 sob as normas do padrão contábil IFRS 16, que começou a vigorar em janeiro deste ano, foi de R$ 23,837 milhões, baixa de 24,4% em relação a igual período do ano passado (R$ 31,538 milhões).

A mensagem da administração que acompanha o demonstrativo destaca que “o imposto de renda e contribuição social apresentou queda de 17,7% no trimestre, em função da redução do lucro antes de imposto de renda e contribuição social”.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado foi de R$ 77,502 milhões, retração de 7,5% em relação ao terceiro trimestre de 2018, com margem 2,5 pontos porcentuais inferior, para 26,8%.

Enquanto isso, a receita operacional líquida da companhia fechou o trimestre em R$ 288,910 milhões. O resultado representa crescimento de 1,00% ante a cifra de R$ 286,003 milhões na mesma base de comparação.

A base total de alunos cresceu 10,2% no terceiro trimestre, passando de 146,9 mil alunos para 161,8 mil alunos, em função principalmente do crescimento da base de alunos de ensino a distância (graduação + pós-graduação) em 83,1%, destacou a empresa.

Já a base de graduação presencial ficou em 123,8 mil alunos, 0,4% maior na comparação com o terceiro trimestre de 2018. A taxa de evasão, por sua vez, ficou em 15,0%, com redução de 1,3 ponto porcentual na mesma base de comparação, “refletindo os primeiros sinais de melhoria, em um cenário ainda adverso na economia do País”, destacou a empresa em seu demonstrativo financeiro.

Em relação ao ticket médio no terceiro trimestre, o valor ficou em R$ 720,43, apresentando redução de 1,5% quando comparado ao mesmo período do ano anterior, “em virtude principalmente do volume de alunos captados”. Segundo a companhia, esse impacto tende a ser mitigado nos trimestres seguintes “uma vez que a captação de alunos é realizada com preços promocionais que reduzem substancialmente os valores de mensalidades para os primeiros meses”.