Edição nº 1142 14.10 Ver ediçõs anteriores

Sem mobilidade, não há educação

A Unicef e a Abertis, gigante espanhola de infraestrutura, firmaram uma parceria que dará início ao programa “Geração que move”. A iniciativa, apoiada no Brasil pela concessionária de rodovias Arteris – que tem o Grupo Abertis como um de seus acionistas – coloca jovens de periferias no protagonismo da discussão sobre mobilidade segura nos grandes centros urbanos. Para o projeto-piloto da ação, as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro foram selecionadas. Em um modelo de cocriação, 210 jovens irão participar de 12 workshops de design thinking que acontecerão entre 2019 e 2020. Durante o processo, eles irão diagnosticar e mapear de maneira colaborativa seus desafios de locomoção na cidade, seja para as atividades do dia a dia, como ir à escola ou ao trabalho, seja para os momentos de lazer.

Somente em 2015, 1.389 meninos e meninas de até 14 anos morreram e quase 13 mil crianças foram hospitalizadas devido a acidentes de trânsito no Brasil, de acordo com dados do Datasus. “Grandes mudanças acontecem quando existe uma percepção sobre sua real necessidade. No contexto da segurança viária, cada vez mais a capacitação dos jovens tem se mostrado fundamental para provocar transformações significativas, uma vez que eles são os protagonistas do trânsito de amanhã”, afirma Andre Dorf, presidente da Arteris. “Por meio da parceria entre Abertis e Unicef, a companhia terá a oportunidade de compartilhar essa experiência de quase duas décadas e apoiar um projeto global de desenvolvimento social por meio da humanização do trânsito e da mobilidade urbana.”

(Nota publicada na Edição 1124 da Revista Dinheiro)


Mais posts

A aposta segura de Neeleman

O empresário David Neeleman (foto à dir.), fundador da Azul Linhas Aéreas e sócio da portuguesa TAP, segue apostando parte de sua [...]

R$ 4 milhões em brownies

Em 2013, depois de testar 130 receitas de brownies e cookies, os sócios Francisco Veiga Salgado e Carolina Tellechea Cerqueira abriram em Florianópolis (SC) as portas da Browneria. Em cinco anos, o faturamento saltou de R$ 150 mil para R$ 2,5 milhões. E deve chegar a R$ 4 milhões em 2019, depois da abertura da […]

“O que destruiu a Venezuela não foi o socialismo, mas a mistura de nacionalismo com corrupção”

Maria Teresa Belandria, embaixadora da Venezuela no Brasil

A caminho dos R$ 10 bilhões

A Veedha, escritório destacado pela XP Investimentos em 2019, vai turbinar seu time de executivos e sócios para ampliar de R$ 3 bilhões [...]

A união do audiovisual

Um dos grandes desafios da indústria cinematográfica é equilibrar o tripé sobre o qual ela se apoia: produção, distribuição e exibição. [...]
Ver mais