Giro

Seguro-desemprego: como saber o valor e quantas parcelas a receber

Crédito: José Cruz / Agência Brasil

O trabalhador que exerce atividade com carteira assinada tem direito ao seguro-desemprego (Crédito: José Cruz / Agência Brasil )



O trabalhador que exerce atividade com carteira assinada tem direito ao seguro-desemprego. O valor do seguro e a quantidade de parcelas dependem do salário do trabalhador e do tempo no emprego.

O seguro-desemprego é ajustado anualmente com base na inflação e correção do salário-mínimo. O valor é o resultado da média salarial recebida nos últimos três meses trabalhados. Em 2022, os valores pagos são:

Valor mínimo: R$ 1.212,00

Valor máximo: R$ 2.106,08




O cálculo é feito conforme a tabela abaixo:

Faixa de salário médio Valor da parcela
Até R$ 1.858,17 Multiplica-se o salário médio por 0,8 (80%)
Mais de R$ 1.858,17 até R$ 3.097,26 Multiplica-se por 0,5 (50%) e soma-se a R$ 1.486,53
Acima de R$ 3.097,26 O valor da parcela é R$ 2.106,08 invariavelmente

Número de ações judiciais não reflete discriminação sexual no trabalho

Para receber o seguro-desemprego, é preciso:


Ter sido demitido do trabalho sem justa causa;

Estar desempregado quando for solicitar o benefício;

Não possuir outra fonte de renda própria de qualquer natureza;

Não receber nenhum benefício do INSS, com exceção do auxílio-acidente e pensão por morte;

Para cada solicitação do seguro-desemprego, o trabalhador tem de ter cumprido um período de trabalho:

1ª solicitação: pelo menos doze meses nos últimos 18 (dezoito) meses anteriores à data de demissão;

2º solicitação: pelo menos nove meses nos últimos 12 (doze) meses anteriores à data de demissão;

3º solicitação em diante: os seis meses anteriores à data de demissão.