Finanças

Segurança questionada

Crescimento de ataques cibernéticos eleva preços dos seguros contra fraudes digitais.

Crédito: Istock

aumento da digitalização devido à pandemia não abriu oportunidades apenas para as empresas digitais. Também criou um campo fértil para os fraudadores. Um levantamento da seguradora Zurich, realizado em parceria com a consultoria de riscos e corretora Marsh & MacLennan, mostrou que os preços dos seguros cresceram 13% no quarto trimestre de 2021 na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Não parece muito. No entanto, o preço das apólices contra fraudes digitais mais que dobrou. Nesse período, os preços subiram 130% em média nos Estados Unidos e 92% no Reino Unido, segundo a pesquisa. No Brasil, a Zurich registrou um crescimento de 50% na procura por esses seguros em 2021 em relação ao ano anterior.

Os preços dos seguros na América Latina subiram 40%, em média. Essa modalidade de seguros teve as maiores correções de preços em comparação com outras apólices, como os seguros patrimoniais e os de responsabilidade civil. Mais de 80% das empresas de todos os setores registraram elevação de taxas nas apólices de cyber. Em alguns casos de empresas sem programas estruturados de gestão de risco, o aumento de taxas chegou a 400%.

Segundo a gerente de linhas financeiras da Zurich no Brasil, Hellen Fernandes, o crescimento da procura deveu-se à expansão das fraudes. Em 2021, ocorrerem em média 967 ataques por semana nas empresas brasileiras, um valor 62% superior ao registrado em 2020. A modalidade conhecida como ransomware, quando há pedidos de resgate após sequestro de dados, cresceu 8%. “o risco cibernético vem aumentando, puxado pelo aumento dos ataques, o que vem preocupando as seguradoras”, disse ela.