Giro

Se o Acordo de Paris falhar centenas de aeroportos vão desaparecer

Crédito: Reprodução/Pexels

O Acordo é uma coligação de quase 200 países que trabalham para reduzir o uso de combustíveis fósseis que aquecem o planeta, como o petróleo e o gás natural (Crédito: Reprodução/Pexels)

O Acordo Climático de Paris é uma boa notícia para o planeta Terra, mas também para o setor da aviação e para quem gosta de viajar. Um aumento global da temperatura de 2 graus poderia alterar para sempre a indústria aeronáutica e levar ao desaparecimento de centenas de aeroportos, concluiu um novo estudo publicado na revista Climate Risk Management.

O Acordo Climático de Paris é uma coligação de quase 200 países que trabalham para reduzir o uso de combustíveis fósseis que aquecem o planeta, como o carvão, o petróleo e o gás natural. O objetivo do Acordo é limitar o aumento da temperatura global para menos de 2ºC, e de preferência menos de 1,5º.

+ O planeta Terra existe como é hoje hoje por sorte
+ Países se comprometem a proteger 30% das terras e oceanos do planeta

As alterações climáticas também têm levado a uma subida do nível do mar, que terá impacto nas costas litorâneas de vários países do mundo.



Pesquisadores da Escola de Engenharia da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, identificaram que cerca de 270 aeroportos em todo o mundo estão atualmente em perigo de inundações costeiras devido à subida do nível do mar, tendo em conta a localização dos aeroportos e exposição a tempestades.

Um aumento global da temperatura de 2ºC, que o Acordo de Paris pretende evitar, colocaria 100 aeroportos abaixo do nível do mar e 364 aeroportos em risco de inundação. Se o Acordo de Paris falhar e a temperatura média global aumentar mais de 2 graus, até ao ano de 2100 estarão em risco 572 aeroportos.

De acordo com o modelo dos pesquisadores, os 20 aeroportos mais ameaçados pelas alterações climáticas estão todos localizados no Sudeste e Leste da Ásia, como o Aeroporto Suvarnabhumi, em Bangcoc, e o Aeroporto Wenzhou Longwan, na China, no topo da lista. Globalmente, a China tem o maior número de aeroportos classificados entre os 20 primeiros da lista.

Na Europa, o aeroporto mais vulnerável é o Aeroporto do Corvo, no arquipélago português dos Açores, seguido pelo Aeroporto de Bremen, na Alemanha. No Reino Unido, o aeroporto da cidade de Londres é o de maior risco.

Nos Estados Unidos, Louis Armstrong International Airport, em Nova Orleães, Nightmute Airport, no Alasca, Key West International Airport, na Florida, e dois dos três principais aeroportos da área de Nova Iorque – La Guardia Airport e Newark Liberty International Airport – todos estão classificados entre os 100 principais aeroportos de maior risco.

Esta não é uma questão que tenha apenas impacto nas costas. A subida do nível do mar não ameaça apenas aeroportos individuais, mas a indústria como um todo. A equipe determinou que até um quinto das rotas aéreas globais podem ser afetadas, se o Acordo de Paris falhar e se os aeroportos desaparecerem.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel