Economia

Salário mínimo ideal deveria ser R$ 6.012,18, diz Dieese

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

Valor corresponde a 4,96 vezes o piso federal atual, de R$ 1.212 (Crédito: Arquivo/Agência Brasil )



O salário mínimo ideal para atender às necessidades de uma família de quatro pessoas deveria ter sido de R$ 6.012,18 em fevereiro. É o que afirma a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e divulgada nesta segunda-feira (14). O valor corresponde a 4,96 vezes o piso federal atual, de R$ 1.212.

Em janeiro, o valor necessário era de R$ 5.997,14, ou 4,95 vezes o piso mínimo. Em fevereiro de 2021, o valor do mínimo necessário deveria ter sido de R$ 5.375,05, ou 4,89 vezes o mínimo vigente na época, de R$ 1.100.

Auxílio Brasil: pagamentos começam na próxima semana; valor é de R$ 400

A estimativa do Dieese é realizada mensalmente e indica qual é o rendimento mínimo necessário para que um trabalhador e sua família possam suprir as despesas do mês com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência. A estimativa do valor ideal para fevereiro tem como base os preços da cesta básica de São Paulo, com custo de R$ 715,65, a mais cara do mês entre as 17 capitais analisadas na pesquisa.




Em fevereiro de 2022, o tempo médio necessário para adquirir os produtos da cesta básica foi de 114 horas e 11 minutos, maior do que o registrado em janeiro, de 112 horas e 20 minutos. Em fevereiro de 2021, a jornada necessária foi calculada em 110 horas e 22 minutos.

Quando se compara o custo da cesta e o salário mínimo líquido, ou seja, após o desconto de 7,5% referente à Previdência Social, verifica-se que o trabalhador remunerado pelo piso nacional comprometeu em média 56,11% do rendimento para adquirir os produtos da cesta, mais do que em janeiro, quando o percentual foi de 55,20%. Em fevereiro de 2021, quando o salário mínimo era de R$ 1.100, o percentual ficou em 54,23%.