Giro

Saiba o que abre e o que fecha durante o feriado em São Paulo

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

Nos dia 1º, 2 e 3 apenas serviços essenciais podem funcionar no Estado e todo o restante do comércio e demais atividades devem permanecer fechados (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

O Estado de São Paulo entrou novamente na fase vermelha, a mais restritiva do Plano SP para conter o avanço da covid-19. Com isso, nos dia 1º, 2 e 3 apenas serviços essenciais podem funcionar no Estado e todo o restante do comércio e demais atividades devem permanecer fechados.

Nos outros dias fora do período das festas, o Estado volta para a fase amarela, com exceção da região de Presidente Prudente, no oeste paulista, que ultrapassou 80% da lotação de UTIs e ficará na fase vermelha até o anúncio de uma reclassificação.

+ Ablos: regressão para a fase vermelha é autoritária e vai prejudicar vendas
+ São Paulo retorna para a Fase Vermelha no período de festas

É bom lembrar que o rodízio municipal de veículos será suspenso apenas nesta sexta-feira (1º) e que valerá durante o mês de janeiro, diferentemente do que ocorreu nos último anos.



O que fecha

– Shoppings, comércio e galerias não podem abrir;

– O consumo em bares e restaurantes é proibido;

– Salões de beleza e barbearias não podem funcionar;

– Eventos, convenções e atividades culturais estão suspensos;

– Atividades que geram aglomeração estão proibidos;

– Academias de esportes e centros de ginástica ficarão fechados.

O que abre

– Saúde: hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas e estabelecimentos de saúde animal;

– Alimentação: supermercados, hipermercados, açougues e padarias, lojas de suplemento, feiras livres. É vedado o consumo no local;

– Bares, lanchonetes e restaurantes: permitido serviços de entrega (delivery) e que permitem a compra sem sair do carro (drive thru). Válido também para estabelecimentos em postos de combustíveis;

– Abastecimento: cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis e lojas de materiais de construção;

– Logística: estabelecimentos e empresas de locação de veículos, oficinas de veículos automotores, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos;

– Serviços gerais: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica de produtos eletroeletrônicos e bancas de jornais;

– Segurança: serviços de segurança pública e privada;

– Comunicação social: meios de comunicação social, inclusive por meio eletrônico, com atividades executadas por empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens;

– Construção civil e indústria: sem restrições.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel