Giro

Saiba lidar com chefes tóxicos, preguiçosos e centralizadores

Crédito: Mohamed Hassan/Pixabay

A falta de liderança nos chefes é um dos motivos que levam os trabalhadores a pedirem demissão (Crédito: Mohamed Hassan/Pixabay)

Hoje (16) é comemorado o Dia do Chefe e é fundamental conhecer o perfil de trabalho do seu chefe para que isso não influencie no seu perfil de trabalho e na sua produtividade. Manter diálogo, paciência e saber compensar as falhas do chefe são três caminhos para você não desanimar no seu emprego.

Segundo uma pesquisa da Catho, um dos principais sites de recrutamento online do País, mais de 50% dos entrevistados já mudaram de emprego por problemas com o chefe. Entre os motivos que levam a desentendimentos e falta de motivação estão a falta de liderança; chefes que não dão crédito aos funcionários; críticas e grosserias.

+ Vagas de trabalho temporário devem chegar a 400 mil neste final de ano
+ Desemprego chega a 14,4%, o mais alto desde o início da pandemia
+ Medo do desemprego é maior entre mulheres e jovens 

“Seja qual for o perfil do seu chefe, o primeiro passo para lidar com ele é por meio do diálogo. Se sua empresa não tem a cultura do feedback constante, tome a iniciativa você e reserve um horário com seu chefe. Se isso não funcionar, você tem dois caminhos: acionar o departamento de recursos humanos para que ele medie a situação ou trocar de chefe”, orienta a Catho em nota.

Pensando nisso, a companhia elaborou um material que vai ajudar você a identificar o perfil do seu chefe e como lidar melhor com ele. Nessas dicas, primeiro você vai identificar o perfil e, em seguida, vai aprender a resolver os problemas. Seguir esses passos é um bom caminho para ter paz e sucesso dentro da empresa onde você trabalha.

Chefe tóxico

Perfil: Quando ele chega, o ambiente fica pesado e o humor das pessoas é afetado. Ao invés de motivar e dar energia aos seus subordinados com seu discurso, ele causa um efeito contrário: faz com que todos se sintam incapazes de cumprir suas metas, desmotivados e exaustos.

Como lidar: Na maioria das vezes, o líder tóxico é mal educado ou sarcástico, o que torna a comunicação com ele impossível. Mesmo assim, o diálogo é a melhor saída. Converse com ele e dê um feedback sobre os efeitos que o comportamento dele provoca na performance profissional da equipe. Se isso não funcionar, procurar o RH é um caminho.

Chefe incoerente

Perfil: Fala uma coisa hoje e outra amanhã. Pede “X” e no momento da entrega diz que queria “Y”. O chefe incoerente nem sempre age de má fé, mas sim por confusão graças às muitas tarefas e responsabilidades com as quais tem que lidar ou pelo excesso de pedidos vindos de seus superiores, por isso a cada hora uma coisa diferente é priorizada.

Como lidar: Tente sempre formalizar o que conversam, principalmente se uma mudança de posicionamento da parte dele pode trazer consequências para o seu trabalho. Um e-mail registrando tudo que foi falado após uma reunião é uma ótima saída para evitar que seu chefe mude de ideia em alguns dias. Se a cada minuto uma nova tarefa for solicitada com prioridade, questione sempre qual deverá entregar primeiro.

Chefe centralizador

Perfil: O chefe centralizador é aquele que tem dificuldades de delegar tarefas em consequência da não confiança nos subordinados. Ele é o tipo de profissional que, mesmo em cargo de gestão, fica sobrecarregado, pois prefere fazer ele mesmo do que arriscar que um colega faça “mal feito”.

Como lidar: Iniciativa é o que chefe centralizador mais gosta e é o que fará com que ele tenha confiança em você e no seu trabalho. E, claro, trabalhar com qualidade. Afinal, dificilmente um chefe confiaria num subordinado que não tem qualidade e comprometimento em suas entregas.

Chefe preguiçoso

Perfil: Ao contrário do centralizador, o chefe preguiçoso é aquele que não faz nada além de dizer quem deve fazer o que. A gestão de pessoas fica de lado, assim como a gestão e validação das tarefas feitas pela equipe. Poupar energia parece ser o seu lema. O maior problema desse tipo de gestor é a falta de visibilidade que sua equipe tem na empresa, já que ele não levanta a bandeira da equipe no trabalho.

Como lidar: O desafio dos subordinados é fazer o chefe preguiçoso se mexer. Têm alguma tarefa que é de responsabilidade do chefe? Solicite a ele que a faça e explique porque não funcionaria sob sua responsabilidade. Pedir ajuda a ele é o principal meio de fazê-lo trabalhar com a equipe. Em projetos grandes, tente envolver outras áreas também para que você seja visto pelos colegas de trabalho e para que o seu profissionalismo não seja colocado em xeque.

Microgerenciador

Perfil: Para o chefe microgerenciador, cada e-mail que você envia deve passar pelo crivo dele, por mais informal que seja a transação ou o assunto. Na maioria das vezes, esse perfil profissional é inseguro em relação à equipe e não confia que as atividades sejam executadas de acordo com o padrão de qualidade exigido por ele.

Como lidar: Para evitar atritos com esse tipo de gestor, o mantenha informado sobre o andamento dos processos que estão sob sua responsabilidade e sobre a sua rotina diária. Transparência e rotina são as palavras de ordem com o chefe microgerenciador.

Chefe insensível

Perfil: O chefe insensível acredita que a vida pessoal e a vida profissional são destacáveis uma da outra, por isso, para ele, seus problemas pessoais não devem impactar na sua performance profissional.

Como lidar: Se você está passando por um momento difícil ou delicado no âmbito pessoal, reserve alguns minutos da agenda do seu superior e explique a situação, peça um pouco de calma nesse momento e, se necessário, peça alguns dias de folga/afastamento. Lembre-se de deixar claro que o seu comprometimento com o trabalho não irá mudar. E, claro, guardadas as exceções, garanta de que não irá mudar.

Chefe passivo

Perfil: O chefe passivo, ou permissivo, é aquele que cede a todos os pedidos e pressões. Ele não sabe dizer não aos seus subordinados nem aos colegas e superiores, o que resulta em mais trabalho para a equipe e, muitas vezes, trabalho que não é de responsabilidade dela, mas se mal – ou não – executado é sobre sua equipe que recairá a culpa. Além disso, o chefe passivo não tem perfil de cobrador, o que pode resultar em desequilíbrio de tarefas dentro da equipe, sobrecarregando alguns integrantes.

Como lidar: Tente se planejar para atender todas as demandas e, caso a passividade do seu chefe comece a prejudicar você, converse com ele e mostre que sua postura está prejudicando a equipe.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?