Giro

Saiba como serão as manifestações de 7 de setembro em SP e fuja do tumulto

Crédito: Marcos Corrêa/PR

Organizadores pró-Bolsonaro esperam reunir pelo menos 2 milhões de pessoas no ato de 7 de setembro em São Paulo (Crédito: Marcos Corrêa/PR)



Os atos do 7 de setembro devem movimentar pelo menos 10 capitais brasileiras, tendo como “patrocinador” o presidente Jair Bolsonaro. Em São Paulo, Rio de Janeiro e, principalmente, Brasília, é esperada uma multidão para protestar contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e, ao mesmo tempo, a favor do que as lideranças dos protesto chamam de liberdade de expressão no Brasil. Isso, sem contar a reivindicação do voto impresso auditável.

As organizações esperam que os atos desta terça-feira (7) sejam concentrados em poucas regiões, principalmente nas três cidades mencionadas acima.

+ Bolsonaro diz que pretende revogar lei que obriga vacinação contra covid-19

Em São Paulo, os manifestantes vão se reunir na Avenida Paulista e o presidente espera que seja tirada “uma fotografia para o mundo” no alto da avenida. Bolsonaro também deve comparecer ao ato na capital paulista, que está marcado para ter início às 11h e deve reunir 2 milhões pessoas – pelo menos é o que as lideranças do movimento comunicaram à Polícia Militar na semana passada.




Outro ato em São Paulo, contra Bolsonaro, está marcado para acontecer no Vale do Anhangabaú, a partir das 14h, e deve reunir 30 mil pessoas, segundo estimativas das lideranças à PM.

Em Brasília, o esquema de segurança na Esplanada dos Ministérios prevê a revista aos apoiadores do presidente para evitar armas brancas ou de fogo. O trânsito local está fechado e o presidente deve participar da manifestação, após 10h, já que antes ele estará em ato solene referente ao Dia da Independência, no Palácio da Alvorada.

Informações sobre a manifestação do 7 de setembro

Locais onde manifestantes estarão no 7 de setembro: São Paulo, às 11h; Brasília, às 10h; Rio de Janeiro; Manaus, em Ponta Negra, às 15h; em Salvador, no Farol da Barra, às 9h; em São Luís, na avenida Daniel de La Touche, às 9h; em Cuiabá, na Praça das Bandeiras, às 16h; em Belém, na avenida Presidente Vargas, às 8h30; em Curitiba, no Centro Cívico, às 14h; no Rio de Janeiro, no posto 5 da praia de Copacabana; em Porto Alegre, no Parcão, às 15h; em Aracaju, em uma carreta de Arcos da Orla até Praia Formosa, às 14h; e em Natal, na Praça Cívica, sem informação pelo Nas Ruas.


Melhor horário para viagem de retorno do feriadão: em São Paulo o Departamento de Estrada e Rodagem (DER) acredita que o horário de menor movimento nas estradas seja das 00h às 10h e das 22h às 00h. Se você planeja retornar à capital paulista no meio da tarde, é bom acompanhar os aplicativos de tráfego e monitorar as condições das vias.

A mesma dica vale para viajantes de outras cidades. Vale entrar nos perfis oficiais das prefeituras e governos estaduais, que contam com informações e monitoramento em tempo real da situação das estradas na volta do feriadão.

Quais bairros não trafegar: em São Paulo todo o perímetro do Vale do Anhangabaú (que contará com atos contra Bolsonaro) e da extensão da Avenida Paulista devem ser evitados por quem estiver a fim de sossego. Em Brasília, o tráfego será bloqueado e o mesmo deve acontecer nas outras capitais.