Geral

Saiba como fazer a venda da herança antes do inventário

Crédito: Marcos Santos/ USP Imagens

Herdeiro pode vender sua parte por meio da cessão de direitos hereditários (Crédito: Marcos Santos/ USP Imagens)



A divisão da herança entre os familiares de um falecido pode ser um processo longo e custoso, não só financeiramente, mas emocionalmente. 

No entanto, especialistas explicam que uma pessoa com o direito de receber uma herança pode vendê-la a um terceiro ou mesmo a um coerdeiro por meio de um processo de cessão de direitos hereditários.

+ Confiança do comércio volta a crescer após dois meses

O que é a cessão de direitos hereditários?

O processo todo do inventário de uma herança, caso siga o processo na justiça, pode levar anos para ser concluído. Caso um dos herdeiros queira vender ou doar a sua parte para outra pessoa, ele pode fazer por meio dessa cessão. 




“Vamos supor que eu tenho direito a um quarto da herança do meu pai falecido. Antes do término do inventário dele, já que eu estou partindo da premissa de que vai demorar, eu vendo esse direito. A pessoa interessada paga e o herdeiro muda de posição com essa pessoa, que passa fazer jus ali dos direitos e dos deveres”, explicou o advogado Pedro Henrique Moral.

Posso vender para outro herdeiro? 

Caso haja mais de um herdeiro com direitos, a pessoa pode fazer a venda para essa pessoa, respeitando o mesmo trâmite, baseado no artigo 1793 do Código Civil. 

Paulo Akiyama, advogado especialista em direito de família, explica que caso haja mais de um herdeiro ou a presença de cônjuge sobrevivente, todos devem estar de acordo com a cessão da herança.  Além disso, qualquer coerdeiro vivo tem a preferência nessa transação, podendo ficar com a parte do outro familiar caso faça uma proposta igual a da terceira pessoa.   


Cessão deve ser feita antes da divisão dos bens

Um outro detalhe para ter em mente é que a cessão de direitos hereditários só pode ser feita antes de determinação de quais bens vão ficar para cada um dos beneficiados. Quem explica isso é a advogada do escritório Toledo e Advogados Associados, Ana Cláudia Cardoso Braga. 

“É certo dizer que o filho do falecido, por exemplo, vende seu lugar de herdeiro para outra pessoa, não o imóvel desejado. Porém, a cessão só pode ser feita antes de determinarem os bens que serão destinados a cada herdeiro na divisão. Dessa forma, o cessionário torna-se herdeiro, com todos os ônus e bônus, podendo dar abertura ao inventário, prosseguindo então, com o procedimento necessário para ter direito aos bens”, explicou.