Safra 2020: histórica também no Sudeste

Crédito: Reprodução Casa Verrone

Vinhedo da Casa Verrone em Itobi (SP): uvas de qualidade na Serra da Mantiqueira (Crédito: Reprodução Casa Verrone)



Depois de uma safra excepcional em 2018, uma nova boa notícia alegrou os vitivinicultores do País. Naquele ano, o efeito La Niña impactou positivamente nas condições climáticas das regiões e contribuiu para proporcionar maior maturação das uvas. Agora, mesmo sem essa influência, o clima foi excelente. E os produtores tiveram a inesperada (e grata) surpresa de colher frutos ainda melhores este ano. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), Daniel Salvador, 2020 pode ser considerada a safra das safras sob todos os aspectos. “Quem não conseguiu atingir um patamar elevado esse ano deve rever seus conceitos, porque todos os vinhos têm condições para serem maravilhosos”, afirmou.

Encerrada a safra na região Sul do País, as atenções se voltam agora para a colheita de inverno. Ela é realizada sobretudo na Serra da Mantiqueira, por meio da técnica chamada de poda invertida. A técnica permite postergar a vindima para os meses de junho a agosto, quando chove pouco e há maior variação de temperatura entre o dia e a noite. Isso estimula a maturação fenólica dos cachos, resultando em uvas com maior concentração de açúcares e polifenóis – que dão estrutura ao vinho.

Já na reta final para a colheita deste ano, as expectativas dos produtores na divisa entre São Paulo e sul de Minas são as mais promissoras. “O florescimento e as primeiras bagas estão bem sadias”, diz o produtor Marcio Verrone. Há 20 anos ele iniciou um projeto para obter vinhos finos em Itobi, na região de  São José do Rio Pardo. “Como nós atrasamos a poda para sair do período de muita chuva, só devemos iniciar a colheita no meio de julho, e vamos estendê-la até o final de agosto”, afirma.

PREMIAÇÕES



É com a certeza de uma safra de alta qualidade que o dono da Casa Verrone espera subir mais um degrau na qualidade dos tintos, brancos, rosés e espumantes que elabora. Seus vinhos tem conquistado prêmios importantes no Brasil e no mundo. Em 2019, o rótulo Colheita Especial Syrah conquistou uma medalha no Decanter World Wine Awards, uma das mais influentes e concorridas premiações do setor. O vinho já havia recebido ouro na Brasil Wine Challenge 2018. Entre os brancos, o Speciale Chardonnay foi o melhor da Grande Prova Vinhos do Brasil 2016. E o outro rótulo que promete boas pontuações por parte de especialistas é o espumante Casa Verrone Sauvignon Blanc Sur Lie, já apresentado nesta coluna (clique aqui para ler o post).

 









Sobre o autor

Celso Masson, 53, é jornalista, diretor de núcleo da Editora Três, winemaker e palestrante de vinhos. Nos últimos dez anos, vem estudando e acompanhando a produção, os negócios e os prazeres do mundo da enologia. Se formou winemaker após integrar um exigente programa oferecido pela Escola do Vinho Miolo. Já tem três rótulos produzidos em parceria com a inovadora vinícola brasileira.


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright ©2022 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.