Edição nº 1057 16.02 Ver ediçõs anteriores

Safári particular

Safári particular

Viajar para os países africanos a fim de realizar safáris é um sonho para muita gente. Mas que tal comprar uma mansão para ter como vizinhos grandes animais da região, como leões, elefantes e rinocerontes? Está à venda uma propriedade de 3,2 mil hectares no coração da região de Kenton-On-Sea, no sudoeste da África do Sul.

A mansão faz parte de uma reserva de ecoturismo, que abrange 10 mil hectares. Ou seja, o proprietário estará inserido totalmente na vida selvagem, mas com todo o conforto – e segurança – possível. A casa possui 11 quartos e 11 banheiros, uma estrutura própria de eletricidade e água encanada, além de espaços para lazer.

Com um moderno sistema de repelentes eletrônicos, a local também está protegida de malária e outras doenças tropicais. A casa é avaliada em US$ 46 milhões.

(Nota publicada na Edição 1010 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Niemeyer e Véio são destaque em Milão

Uma exposição em Milão homenageia dois nomes importantes para a cultura brasileira: o arquiteto e designer Oscar Niemeyer (1) e o [...]

Festival da trufa

O chef francês Alain Ducasse criou um menu-degustação de sete etapas que tem a trufa negra como ingrediente principal. O menu é servido [...]

Inspiração brasileira

Os designers brasileiros Irmãos Campana criaram para a marca italiana Bisazza, fabricante de pastilhas e ladrilhos, uma coleção [...]

Viagem aconchegante

A companhia americana de cruzeiros Seabourn está com um novo navio em sua frota: o Ovation. A rota inaugural acontece em maio, saindo [...]

Drink de reis

Uma das atrações mais extravagantes do hotel Wynn, em Las Vegas, é um drink de US$ 10 mil chamado “The Ono”, variação do nome do deus [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.