Economia

Sachsida: todas as medidas terminam, inevitavelmente, no fim de 2020

O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, afirmou nesta segunda-feira, 8, durante evento virtual, que o País não pode transformar a crise “transitória” em algo “permanente”. Neste sentido, segundo ele, todas as medidas tomadas pelo governo para combater os efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus terminarão “inevitavelmente” no fim de 2020.

O comentário surge em meio a pressões para que programas de transferências de renda, adotados pelo governo na crise, sejam prorrogados.

Sachsida afirmou ainda que, em 2020, o mecanismo do teto de gastos do setor público será mantido. “Passada a pandemia, vamos retomar a consolidação fiscal”, afirmou.

Segundo ele, os programas de transferência de renda adotados até o momento também estão “funcionando bem”, assim como as medidas voltadas para a manutenção de empregos nas empresas. “O governo já salvou mais de 9 milhões de empregos”, citou. “A ajuda a Estados e municípios também vai chegar”, acrescentou.

O secretário participa hoje do “Webinar ICC Brasil – Crédito em tempos de pandemia”, evento virtual promovido pela International Chamber of Commerce Brasil.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago