Artigo

Sabe o que sua equipe anda falando sobre você?

(5 atitudes que irão ajudar a melhorar sua comunicação para liderança)

Crédito: Depositphotos

Na minha jornada como mentora trabalhando com líderes de diversas organizações há sempre uma dor comum que todos carregam: pessoas. Para alcançar o C-Level em suas carreiras, todos trazem histórias de horas de muito estudo e trabalho, muita luta, resiliência, dedicação e noites insones pensando nas melhores decisões para a sobrevivência e o futuro do negócio. Mas há uma habilidade que não se aprende nas universidades e cursos de MBA – a comunicação interpessoal, saber ouvir, respeitar a diversidade de opiniões, compreender o sentimento expresso muito além das palavras.

Você tem alguma ideia de como seus colegas te enxergam? Que imagem carregam da sua “personalidade corporativa”? O que suas atitudes no dia a dia revelam sobre você? Qual sua real capacidade de gerar empatia?

Para cada público, uma mensagem

O primeiro passo para melhorar sua comunicação é entender que cada interlocutor e cada situação demandam uma linguagem, uma abordagem diferente. Você não conseguirá ser compreendido e gerar conexão com um millenial usando o mesmo vocabulário de quando está na reunião com a Diretoria. Assim como não adotará um linguajar informal com seus clientes enquanto não tiver mais intimidade com eles.

Ao iniciar uma conversa com quem quer que seja, lembre-se que está em frente a um ser humano, que, como qualquer outro, tem sua própria história de vida, seus traumas e frustrações, suas idiossincrasias, seus dias bons, seus dias ruins.

A primeira impressão é mesmo a que fica. E esta percepção é criada a partir de inúmeros sinais, verbalizados ou não, que você passa quando se comunica com seu time. Ela é moldada a partir da forma como você se comunica ou não se comunica. Seus gestos, sua postura, sua expressão facial, sua respiração, seu olhar; tudo diz muito mais sobre você do que você pensa.

Tímido ou arrogante?

Se acha que te enxergam como uma pessoa tímida, sinto muito, tenho uma má notícia: é mais provável que a imagem que está passando é de arrogância. Uma boa comunicação é uma ferramenta estratégica que, se bem utilizada, pode ser decisiva para conseguir engajar sua equipe e conquistar suas metas ou, ao contrário, se mal trabalhada, pode exterminar qualquer chance de alcançá-las. Portanto, a timidez não irá te ajudar em nada.

E não pense que é fácil. Um líder que passa o dia trancado em sua sala tocando a gestão somente de olho nas planilhas e não circula pelos corredores corre o sério risco de ter uma visão deturpada da realidade em sua volta. Mudar esta atitude não é tarefa fácil; e não necessariamente por ser esnobe, mas por, basicamente, não conhecer a si mesmo.

Sim, para entender o outro é essencial, antes de mais nada, compreender a si próprio. Faça um exame de consciência. Qual sua percepção sobre você? Como se enxerga? Que imagem tem de sua própria persona? Provavelmente, ao embarcar nesta viagem de autoconhecimento, irá descobrir que há um gap entre o que você de fato é/está e como é visto/percebido. E isto é ótimo porque será o impulso que precisa para iniciar sua transformação.

Não é porque você não fala que não estão te escutando. Guarde bem isso.

Listo aqui 5 atitudes que irão te ajudar a aprimorar sua comunicação para liderança:

  1. Cumprimente com sinceridade. Eu sei que sua cabeça está cheia de pendências pra resolver, que está atrasado para próxima reunião, que as contas não estão fechando, que seus filhos estão te enlouquecendo, mas, por favor, não faça de conta que o ser humano que está ali ao seu lado, dentro do elevador com você, não existe. Dê um bom dia sincero. Comente algo que mostre a ele o quanto o julga importante. Procure saber mais sobre sua vida. Além de ganhar um sorriso e sua simpatia, de quebra ainda poderá descobrir que aquela pessoa tem um grande potencial e pode estar na posição errada.
  2. Estabeleça uma comunicação genuína. Lembre sempre que em um processo de comunicação há sempre um emissor (você) e um receptor (seu interlocutor). Se você não demonstrar verdade, autenticidade, sinceridade, o tiro certamente sairá pela culatra. Não tenha medo de ser e expressar quem você é. Você só estabelecerá uma comunicação eficaz e terá credibilidade se quebrar o gelo. Do contrário, é mais provável que não será compreendido. Prepare-se para situações de crise que irão exigir conversas difíceis e, se avaliar que não está sereno o suficiente, vá tomar um café, dar uma volta, respirar e, somente quando se sentir pronto, inicie o diálogo (eu disse diálogo, não monólogo). E, nestes momentos adversos, jamais esconda-se atrás de uma mensagem de email ou de WhatsApp. A comunicação escrita pode levar a N interpretações e um texto é eternizado, compartilhado, comentado. Na crise, olho no olho!
  3. Observe-se. Seja qual for a situação, não esqueça que há sempre um tom de voz adequado (nunca, jamais grite com ninguém!), um linguajar, um gesto, o contato visual e muitas outras sutilezas que são determinantes para passar segurança na sua comunicação e conquistar, envolver sua audiência. Se vai proferir uma palestra ou comandar uma reunião, prepare-se e pense como irá se apresentar mediante seu público. Se irá apresentar um projeto aos acionistas, construa dentro de si uma persona autoconfiante, que sabe o que diz e está segura sobre suas ideias. Esteja sempre pronto para ser confrontado e responder perguntas difíceis. Procure aprender com as situações em que alcançou uma boa performance na sua comunicação e não fuja daquelas que te tiram da sua zona de conforto. A boa comunicação só se aprende na prática, no dia a dia. Encare os momentos mais difíceis como as melhores oportunidades para se desenvolver.
  4. Faça uma leitura do seu interlocutor antes de começar a se comunicar. Tenha sempre em mente que para ser compreendido é preciso primeiro compreender o outro, sua essência, sua história, sua vida dentro e fora da empresa. Você nunca chegará a um entendimento sobre o outro somente a partir daquilo que você vê. Portanto, esteja pronto para escutar (sempre!) e fique atento a todos os mínimos sinais. Muitas vezes, um olhar representa muito mais do que o outro consegue traduzir em palavras. Mantenha seu radar ligado.
  5. Peça e dê feedback. Se você ainda não tem clareza sobre sua habilidade comunicativa converse com seus pares mais próximos. Peça a eles que digam com franqueza (pode ser uma única pessoa da sua confiança) o que pensam sobre a maneira como se comunica, como se apresenta, que imagem passa dentro da organização. Da mesma forma, não tenha medo de dar feedback. Os millenials valorizam muito ouvir de seus líderes o que pensam sobre eles. Se souber estabelecer esta troca é mais do que meio caminho andado para ter a tão desejada empatia.

Para encerrar, deixo o provocativo pensamento de Dalai Lama: “A arte de escutar é como uma luz que dissipa a escuridão da ignorância”.

Pense nisso e boas conversas! 😉

 

(*) Claudia Colnago é fonoaudióloga e sócia da Verbare Comunicação, consultoria que oferece mentoria para desenvolvimento da competência comunicativa para liderança através de uma jornada de autoconhecimento e autoconsciência. Claudia tem formação em Neurocoaching e em Consultoria para Liderança.