Giro

Rússia vai permitir aos estrangeiros vacinarem-se no país

Rússia vai permitir aos estrangeiros vacinarem-se no país

De acordo com Putin, os estrangeiros interessados vão ter de pagar para se vacinarem. Por outro lado, apelou aos russos a vacinarem-se “gratuitamente”.

Presidente russo disse nesta sexta-feira (4) que a Rússia vai criar condições para receber os estrangeiros que queiram se vacinar no país contra a Covid-19, acrescentando que os russos devem se vacinar com os compostos nacionais.

Vladimir Putin disse que ordenou ao Governo a “criação de condições” necessárias para receber estrangeiros no prazo de um mês. De acordo com o chefe de Estado, os estrangeiros interessados vão ter de pagar para se vacinarem.



+ Vacinados com a primeira dose no Brasil chegam a 48,4 milhões, 22,9% da população

As posições de Putin foram transmitidas durante uma intervenção que decorreu no Fórum Econômico Internacional, em São Petersburgo. Por outro lado, apelou aos russos a vacinarem-se “gratuitamente” contra a doença.

“A vacina russa é conhecida como a mais segura”, disse Putin acrescentando que apenas 10% da população mundial está inoculada até ao momento. “Centenas de milhares de pessoas não têm acesso às vacinas”, disse.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!



“Enquanto não tivermos um acesso generalizado às vacinas (…) em todos os continentes, o risco epidêmico não vai desaparecer”, afirmou ainda o chefe de Estado russo.

O ritmo da vacinação na Rússia é muito baixo devido à desconfiança da população em relação às vacinas desenvolvidas no país. De acordo com uma sondagem realizada em abril, pelo instituto Levada, mais de 60% dos russos interrogados não querem se vacinar, apesar de o número de novas contaminações não baixarem no país há várias semanas.

Em 2020, a Rússia foi o primeiro Estado do mundo a anunciar a aprovação de uma vacina contra o SARS-CoV-2, batizada com o nome Sputnik-V, antes mesmos de concluídos os ensaios clínicos ao composto.

Duas outras vacinas russas foram entretanto autorizadas pelas autoridades, além de uma versão ‘ligeira’ da Sputnik V, que é administrada numa só dose.