Giro

Rússia interrompe fluxo de gás para Finlândia e intensifica pressão por Donbas



Por Pavel Polityuk e Terje Solsvik

KIEV/OSLO (Reuters) – A Rússia parou de fornecer gás para a Finlândia em uma escalada de uma disputa sobre pagamentos de energia com o Ocidente, neste sábado, e intensificou uma ofensiva na região de Donbas, no leste da Ucrânia.

Depois de encerrar semanas de resistência dos últimos combatentes ucranianos na cidade estratégica de Mariupol, no sudeste, a Rússia está travando o que parece ser uma grande ofensiva em Luhansk, uma das duas províncias de Donbas.

Separatistas apoiados pela Rússia já controlavam partes do território em Luhansk e na província vizinha de Donetsk antes da invasão de 24 de fevereiro, mas Moscou quer tomar o último território remanescente sob controle ucraniano em Donbas.



As últimas forças ucranianas entrincheiradas na destroçada siderúrgica de Azovstal, em Mariupol, se renderam na sexta-feira, informou o Ministério da Defesa russo, pondo fim ao cerco mais sangrento da guerra.

“O território da usina metalúrgica de Azovstal… foi completamente liberado”, disse o ministério em comunicado, acrescentando que 2.439 defensores se renderam nos últimos dias, incluindo 531 do grupo final.

Horas antes, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse que os militares ucranianos haviam dito aos últimos defensores da siderúrgica que eles poderiam sair e salvar suas vidas. Os ucranianos não confirmaram de imediato os números de Azovstal.


O Estado Maior das Forças Armadas da Ucrânia não comentou a afirmação da Rússia em sua atualização matinal de sábado.

(Reportagem adicional de Natalia Zinets, Max Hunder e Tom Balmforth em Kiev e redações da Reuters)