Giro

Rio pede a ministério que cobre passaporte da vacina de turistas estrangeiros

Em meio às preocupações com o aumento no fluxo de turistas para a celebração do carnaval na cidade do Rio de Janeiro, a Prefeitura revelou ter pedido ao Ministério da Saúde que exija o passaporte vacinal contra a covid-19 de pessoas que cheguem ao Brasil vindas de outros países. A revelação foi feita nesta sexta-feira, 19, pelo secretário Municipal de Saúde, Daniel Soranz, em audiência pública da Comissão Especial de Carnaval da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.



“Em relação ao passaporte vacinal, que é a última medida restritiva que a gente estuda manter na cidade do Rio de Janeiro, há necessidade. A gente já cobrou do Ministério da Saúde que avalie a solicitação de passaporte vacinal de pessoas de outros países para o Brasil. O ministério está apreciando essa situação, e a gente vai definir ao longo das próximas semanas se a gente mantém o passaporte vacinal, se a gente aumenta a cobrança do passaporte vacinal a outros setores da sociedade, ou se a gente já vai alcançar uma cobertura vacinal tão alta que ele não será mais necessário”, declarou Soranz.

O secretário de saúde lembrou que os países que atualmente enfrentam novos surtos de covid-19 não conseguiram uma cobertura vacinal ampla da população ou não adotaram a terceira dose da vacina em idosos, como reforço, ao contrário do que vem ocorrendo no município do Rio.

“Nesse momento, a covid está controlada no Rio de Janeiro”, garantiu.

Segundo ele, a prefeitura seguirá monitorando os índices locais da pandemia, assim como os tipos de vírus circulando na cidade, através de um “sistema de vigilância bastante apurado”.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!



“Em relação ao passaporte vacinal, que é a última medida restritiva que a gente estuda manter na cidade do Rio de Janeiro, há necessidade. A gente já cobrou do Ministério da Saúde que avalie a solicitação de passaporte vacinal de pessoas de outros países para o Brasil. O ministério está apreciando essa situação, e a gente vai definir ao longo das próximas semanas se a gente mantém o passaporte vacinal, se a gente aumenta a cobrança do passaporte vacinal a outros setores da sociedade, ou se a gente já vai alcançar uma cobertura vacinal tão alta que ele não será mais necessário”, declarou Soranz.

O secretário de saúde lembrou que os países que atualmente enfrentam novos surtos de covid-19 não conseguiram uma cobertura vacinal ampla da população ou não adotaram a terceira dose da vacina em idosos, como reforço, ao contrário do que vem ocorrendo no município do Rio.

“Nesse momento, a covid está controlada no Rio de Janeiro”, garantiu.

Segundo ele, a prefeitura seguirá monitorando os índices locais da pandemia, assim como os tipos de vírus circulando na cidade, através de um “sistema de vigilância bastante apurado”.