Giro

RightForge hospedará plataforma das redes sociais de Trump

RightForge hospedará plataforma das redes sociais de Trump

A RightForge hospedará a nova rede social do ex-presidente Donald Trump - GETTY IMAGES/AFP/Arquivos

A RightForge, empresa de infraestrutura da internet ligada aos conservadores, hospedará a nova rede social do ex-presidente americano, Donald Trump, anunciou seu diretor-executivo, Martin Avila.



Em declarações ao site de notícias Axios, Avila disse esperar que a nova rede social de Trump, Truth Social, terá mais de 75 milhões de usuários, razão pela qual a empresa de hospedagem de sites na internet está “estabelecendo as bases para isso”.

“Por isso, haverá servidores em todas as partes”, disse Avila em entrevista ao Axios, publicada nesta terça-feira (26).

Trump foi excluído do Twitter e do Facebook após a invasão de seus seguidores ao Capitólio em 6 de janeiro, e o diretor-executivo da RightForge avaliou que o ex-presidente não devia ser silenciado.

“Se você acha que o presidente deveria ser excluído das plataformas, nós acreditamos que você não está realmente interessado em viver em um país livre”, afirmou Avila.



“E disso se trata realmente, de nos assegurarmos de que os Estados Unidos se mantenham fiéis a suas ideias centrais e de que o mercado das ideias permaneça aberto”, acrescentou.

Avila disse que o RightForge começou a construir uma rede global depois que Trump foi expulso das redes sociais e a Amazon desconectou a plataforma de direita Parler.

Trump anunciou na semana passada os planos para lançar a Truth Social, em uma tentativa de recuperar sua influência na internet.

A medida alimentou ainda mais especulação de que o magnata imobiliário esteja se preparando para outra corrida presidencial em 2024.

Em um comunicado divulgado nesta terça, o ex-presidente disse que o Trump Media & Technology Group, além da Truth Social e de um serviço de transmissão de vídeo sob demanda, “vê oportunidades” em outras áreas-chave que vão de serviços web a processamento de pagamentos.

O serviço de vídeo em streaming disputará audiência com a programação cada vez mais “politizada” das “Big Tech e dos reprodutores da Grande Mídia”, disse Trump.

“Temos visto um presidente dos Estados Unidos em exercício ser silenciado efetivamente por uma pequena oligarquia de titãs da tecnologia e corporações de mídia ‘dominantes'”, disse.

“Estou decidido a romper seu domínio sobre as vozes do povo americano, não só para mim e meus seguidores, mas para todos os Estados Unidos!”, acrescentou.

O Facebook vetou Trump por tempo indeterminado em 7 de janeiro, um dia depois de seus simpatizantes atacarem o Capitólio para tentar evitar a certificação da vitória eleitoral de Joe Biden, mas em seguida reduziu sua suspensão a dois anos.

O Twitter suspendeu permanentemente a conta de Trump, que tinha mais de 88 milhões de seguidores naquele momento, devido ao “risco de uma maior incitação à violência”.


Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?