Dinheiro em Ação

Resultado saudável da Notredame

Crédito: Claudio Gatti

A Notredame Intermédica obteve em 2020 o melhor resultado de sua história, apesar das dificuldades da pandemia. Com lucro líquido ajustado de R$ 232,7 milhões no quarto trimestre, avanço de 17,3% ante o mesmo período de o ano anterior, a companhia presidida por Irlau Machado contabilizou no ano lucro de R$ 1,01 bilhão, o que representa alta de 59,7% sobre 2019. Desde 2015, a taxa de crescimento acumulada anual (CAGR) da companhia é de 35,9%. A margem líquida ajustada também avançou no ano, saindo de 7,5% em 2019 para 9,5% em 2020. Mesmo com os bons resultados, a Notredame apresentou queda nas margens, sobretudo pela maior taxa de utilização dos planos, com aumento no número de consultas e de internações devido à pandemia. O avanço da receita líquida no quarto trimestre foi de 22,1% em relação ao último trimestre de 2019, alcançando R$ 2,8 bilhões. No ano, a receita líquida cresceu 26,9%, para R$ 10,67 bilhões. A performance se deu pelo aumento do número médio de beneficiários via aquisições e expansão orgânica.

CONSTRUÇÃO

Mitre lucra mais em ano difícil

A Mitre Realty faturou R$ 154,7 milhões no último trimestre de 2020, alta de 26,8% sobre igual período de 2019. No ano, a incorporadora faturou R$ 411,2 milhões, crescimento de 31,9%.O lucro líquido cresceu para R$ 22,5 milhões, alta de 329,3% ante o quarto trimestre de 2019. No ano, o lucro líquido foi de R$ 49,1 milhões, alta de 53,4%. A única dificuldade foi o crescimento de 51,8% nas despesas comerciais devido ao fechamento dos estandes de vendas devido à pandemia.

SAÚDE

Procon multa SulAmérica

O Procon de São Paulo multou a SulAmérica em R$ 10 milhões por comercializar planos de saúde sem dar informações mais claras a seus consumidores sobre revisão de reajuste por faixa etária e de cobrança mensal. A sanção será aplicada por meio de processo administrativo e a empresa tem direito à defesa. Segundo o Procon, os contratos de planos de saúde da seguradora não tinham informações claras sobre o reajuste, o que contraria o Código de Defesa do Consumidor.

TECNOLOGIA

Receita da Positivo avança 59%

A Positivo Tecnologia faturou R$ 887 milhões no último trimestre de 2020, 59% acima do mesmo período de 2019. O lucro líquido trimestral foi de R$ 149,7 milhões, resultado 28 vezes superior aos R$ 5,3 milhões de 2019. A maior adoção de novas tecnologias pelos consumidores e a transformação digital provocada pela pandemia explicam os resultados. No ano, a Positivo lucrou R$ 196 milhões, melhor número em dez anos e nove vezes superior aos R$ 20,8 milhões de 2019.

MERCADO EXTERNO

Negócios com ADRs brasileiros sobem 40%

O volume médio diário de American Depositary Receipts (ADR) de empresas brasileiras negociados em Wall Street cresceu 40% em 2021 em comparação com 2020. As transações na B3 tiveram alta de 20% no mesmo período, segundo estudo da
empresa de informações financeira Economatica. O cálculo inclui o volume financeiro médio diário em cada ano e a soma dos ADRs brasileiros, bem como o volume médio diário anual da bolsa B3 considerando o mercado à vista lote padrão. Foram considerados todos os ADRs brasileiros negociados de 1996 a 2021. A amostra é variável porque alguns papéis foram retirados do pregão americano, como os ADRs da Telebrás.

DESTAQUE DO PREGÃO

Guararapes compensa perdas com Covid

A Guararapes Confecções, controladora da Lojas Riachuelo, colheu os frutos dos investimentos na transformação digital. As vendas por meio dos canais digitais cresceram 192% no quarto trimestre em comparação com o mesmo período do ano anterior. No ano, essas vendas representaram 10,3% do total. As novas tecnologias proporcionaram crescimento de 11,7% do Ebitda no trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior. No entanto, os resultados ficaram abaixo dos de 2019. A receita líquida totalizou R$ 2,2 bilhões, 9,3% menor que os R$ 2,4 bilhões apurados no mesmo período do ano passado, e o lucro líquido caiu para R$ 368 milhões, baixa de 16,5% ante os R$ 440,6 milhões de 2019. “Passamos por um período muito desafiador, mas conseguimos nos reorganizar rápido para o novo momento, gerando caixa operacional e diminuindo endividamento líquido”, afirmou o CFO do grupo, Tulio Queiroz.