Edição nº 1096 15.11 Ver ediçõs anteriores

Resposta instantânea

Alex Comninos, sócio e CEO para América Latina da Founders Intelligence, consultoria que trabalha na parceria entre empresas e startups

Resposta instantânea

Qual é a sua avaliação sobre o ecosssistema brasileiro de startups? 
É um ambiente próspero, pois o Brasil continua aumentado a sua captação de recursos. Além disso, o empreendedorismo e a inovação estão sendo levados em conta. Hoje, abrir uma startup parece ser uma ideia mais bem aceita do que era há três anos e mais pessoas pensam duas vezes antes de aceitar um emprego em grandes companhias.

Como a união entre startups e grandes empresas pode ser positiva?
Modelos de negócios inovadores estão permitindo que os clientes acessem novos produtos e serviços de maneiras diferentes. Há diversos casos em que startups emergentes podem ajudar as empresas a expandirem seus negócios. Em maio, a varejista Magazine Luiza, por exemplo, adquiriu a startup de logística Logbee. Esse é um acordo que poderia ter levantado dúvidas há alguns anos, mas que hoje faz sentido.

Quais obstáculos precisam ser superados para que essa união dê certo?
As grandes empresas precisam decidir por que elas desejam unir forças com as startups. É fácil ficar empolgado com blockchain e inteligência artificial. Contudo, é preciso que exista um roteiro claro para a criação de valor comercial. Outro obstáculo é a diferença de mentalidade. Startups usam de sua agilidade para prosperar, enquanto as empresas maiores trabalham de forma mais conservadora. É preciso que exista um respeito mútuo sobre cada perfil.

(Nota publicada na Edição 1085 da Revista Dinheiro)


Mais posts

O mea culpa do Google

Demorou, mas o Vale do Silício parece estar finalmente tomando atitudes mais rigorosas em relação a casos de assédio. O CEO do Google, [...]

Do console à nuvem

(Nota publicada na Edição 1096 da Revista Dinheiro)

Começo promissor

A startup brasileira Olho do Dono foi considerada a mais promissora do continente na primeira edição TechCrunch Battlefield com [...]

A Ameaça alemã ao Tesla

A Volkswagen quer competir de frente com a Tesla, fabricante americana de automóveis elétricos. A empresa alemã pretende discutir um [...]

1,455 bilhão

É a queantia de smartphones serão vendidos no mundo em 2018, queda de 0,7% sobre 2017. mas a curva voltará a subir. estima-se 1,646 bilhão de aparelhos em 2022. (Nota publicada na Edição 1096 da Revista Dinheiro)

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.