Negócios

Renault pode cortar empregos e fechar fábricas, admite ministro francês

O governo da França não pode garantir que não haverá cortes de empregos na Renault e não está exigindo que a montadora mantenha todas as suas fábricas locais abertas, afirmou hoje o ministro de Finanças francês, Bruno Le Maire, à emissora BFM TV.

A companhia francesa, que sofre os efeitos da pandemia de coronavírus, está em negociações para receber um empréstimo bilionário com aval do governo e deve anunciar um plano de reestruturação ainda esta semana.

O governo, que detém participação de 15% na Renault, vai dar à empresa a opção de ajustar sua produção e, portanto, não exigirá que todas as suas instalações permaneçam abertas, disse Le Maire, ressaltando, porém, que a fábrica de Flins, perto de Paris, não deverá ser fechada.

Le Maire também não descartou a possibilidade de fechamento de vagas na Renault. “Não seria responsável dizer que não haverá cortes de empregos”, disse.

A Renault e o governo estão discutindo um empréstimo de 5 bilhões de euros (US$ 5,4 bilhões), e a expectativa é que um acordo seja fechado em breve.

Segundo Le Maire, o governo não tem intenção de ampliar sua fatia na Renault por enquanto. Fonte: Dow Jones Newswires.

Veja também

+ Receita abre consulta a segundo lote de restituição de IR, o maior da história
+ Homem encontra chave de fenda em pacote de macarrão
+ Baleias dão show de saltos em ilhabela, veja fotos!
+ 9 alimentos que incham a barriga e você não fazia ideia
+ Modelo brasileira promete ficar nua se o Chelsea for campeão da Champions League
+ Cuide bem do seu motor, cuidando do óleo do motor
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança