Economia

Renault diz que não houve fraude na remuneração de Ghosn em 2017 e 2018

A Renault explicou que os primeiros resultados da investigação interna foram apresentados aos gestores da nesta quinta em uma "reunião de informação"

Renault diz que não houve fraude na remuneração de Ghosn em 2017 e 2018

A investigação interna da Renault sobre remuneração de seu presidente Carlos Ghosn chegou à conclusão de que não houve fraude em seus pagamentos nos anos de 2017 e 2018 - AFP

A investigação interna da Renault sobre remuneração de seu presidente Carlos Ghosn chegou à conclusão de que não houve fraude em seus pagamentos nos anos de 2017 e 2018, informou o grupo nesta quinta-feira.

Contudo, a montadora francesa disse em comunicado que “conforme a petição inicial, a missão [de investigação] continuará com os exercícios anteriores”.

A Renault explicou que os primeiros resultados da investigação interna foram apresentados aos gestores da companhia nesta quinta em uma “reunião de informação”.