Mundo

Reino Unido registra sua primeira infecção humana de gripe aviária

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

O surto começou no dia 13 de janeiro em uma granja de 18.900 aves no vilarejo de Cantalejo (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)



Em meio a uma onda de gripe aviária na Ásia e na Europa, a Inglaterra registrou o primeiro caso de infecção humana da cepa H5N1. A infecção ocorreu no sudoeste do país, onde há um grande surto da doença em animais.

Segundo a Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido, o “paciente zero” contraiu o vírus devido ao contato próximo e regular com um grande número de aves infectadas. É o primeiro caso humano de H5N1 no Reino Unido.

+ Nova gripe aviária tem maior risco de contágio em humanos, diz diretora de organização de saúde animal
+ Flurona: quais sintomas quando os vírus da gripe e da Covid atacam juntos

Conforme a Organização Mundial para a Saúde Animal (OIE), 15 países reportaram surtos de gripe em aves nos últimos três meses de 2021. A Itália foi o país mais atingido, com 285 surtos e quase 4 milhões de aves abatidas.




O problema é que a H5N1 é uma das poucas cepas de gripe aviária que infectam humanos e é absolutamente letal: matou metade das 850 pessoas que já contraíram a doença, que existe desde os anos 90.

Segundo as autoridades britânicas, o paciente inglês mantém boa saúde e está em isolamento. Todas as suas aves foram sacrificadas e não há evidências de que o vírus tenha contaminado outras pessoas.

O atual surto é a maior crise de gripe aviária registrada no Reino Unido – autoridades cogitam, segundo reportagem do jornal Daily Mail, matar mais de meio milhão de aves para controlar o vírus.