Giro

Reino Unido exigirá teste e quarentena de viajantes de todos os países

Crédito: Arquivo AFP

Passageiros chegando no Reino Unido a partir de segunda-feira deverão apresentar teste negativo para covid-19 e cumprir quarentena (Crédito: Arquivo AFP)

O governo britânico vai exigir a partir de segunda-feira que viajantes de todos os países apresentem teste negativo para covid-19 e façam quarentena, cancelando assim os chamados corredores aéreos, devido ao surgimento de novas variantes do coronavírus.

Por causa do “risco de novas cepas vindas do exterior, devemos tomar medidas adicionais para impedi-las de entrar no país, então ontem anunciamos que estávamos proibindo voos da América do Sul e Portugal”, disse o primeiro-ministro Boris Johnson em uma coletiva de imprensa transmitida pela televisão.

+ Vacinação em massa é fundamental para retomada da atividade, diz CNI
+ Governo de SP diz que tem 6 milhões de doses já prontas da CoronaVac

A medida, que visa impedir a importação de uma nova variante do vírus com origem na Amazônia brasileira, havia sido anunciada na quinta-feira e entrou em vigor um dia depois.



“Também fecharemos temporariamente todos os corredores aéreos a partir das 4h (locais) de segunda-feira”, acrescentou.

Isso significa que qualquer pessoa que deseje viajar para o Reino Unido terá que apresentar um teste de covid-19 negativo realizado nas 72 horas anteriores ao embarque.

Além disso, deve-se respeitar 10 dias de isolamento total após a chegada ou realizar um novo teste após 5 dias de quarentena, que permite sair dela mais cedo se der negativo.

De acordo com dados oficiais, as mortes confirmadas por coronavírus – ocorridas 28 dias após um resultado positivo no teste – aumentaram quase um terço na última semana, elevando o saldo total do Reino Unido para 87.295 mortes, o mais alto de toda a Europa.

– “Pense duas vezes antes de sair” –

O país ultrapassou nesta sexta-feira 3,3 milhões de casos confirmados, com mais 55.761 registrados, porém, as novas infecções diminuíram quase 14% na última semana, segundo o Ministério da Saúde.

Enfrentando sua própria cepa do coronavírus, entre 50% e 70% mais contagiosa do que as anteriores, segundo cientistas britânicos, o Reino Unido está em seu terceiro confinamento nacional, que inclui o fechamento de escolas.

Só é permitido sair de casa para fazer compras, ir ao médico, trabalhar se for indispensável e fazer exercício físico “localmente” acompanhado por uma única pessoa.

No entanto, no último fim de semana, imagens de parques e praias lotados levantaram preocupações de que a população está relaxando no cumprimento das regras.

Lembrando que uma em cada três pessoas infectadas é assintomática, o primeiro-ministro pediu aos britânicos que ajam como se tivessem coronavírus e pudessem infectar outras pessoas sem se dar conta.

“Por favor, pense duas vezes antes de sair de casa neste fim de semana e faça isso apenas se for absolutamente necessário”, insistiu.

“Já vacinamos centenas de milhares de pessoas a mais do que qualquer outro país da Europa e esse extraordinário esforço nacional só vai acelerar, mas até que esse trabalho seja concluído, temos que manter o vírus sob controle”, disse Johnson.

Em um país de 66,5 milhões de habitantes, 3,3 milhões de pessoas – incluindo 45% dos maiores de 80 anos – já receberam sua primeira dose da vacina contra a covid-19 no Reino Unido.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel