Giro

Redução da punição ao Manchester City gera polêmica na Inglaterra

A decisão do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS, na sigla em inglês) de suspender a punição do Manchester City por ter violado as regras do Fair Play Financeiro da Uefa (FFP) não foi bem digerida no futebol inglês.

Após denúncia do jornal alemão Der Spiegel de que o clube havia ultrapassado o valor do teto de patrocínio fixado pelo FFP em fevereiro deste ano, a Uefa puniu os Citizens com a proibição de disputar competições europeias e uma multa de 30 milhões de euros. Após o recurso do Manchester City, a única punição definida pelo TAS foi o pagamento de uma multa de 10 milhões de euros.

Os técnicos dos principais rivais do Manchester City reagiram. Atual campeão inglês, da Liga dos Campeões e do Mundial da Fifa o treinador do Liverpool, o alemão Jurgen Klopp, tentou amenizar, mas criticou a decisão: “Eu não desejo mal a ninguém. Estou feliz que o City vá poder jogar a Liga dos Campeões ano que vem, mas não acho que tenha sido um bom dia para o futebol, para ser sincero. Eu acho que o FFP é uma boa ideia e existe para proteger as equipes, a competição, essa é a ideia desde o início. É preciso ter a certeza de que o dinheiro gasto é baseado nas fontes corretas”.

Ouça na Rádio Nacional

A opinião mais forte veio de José Mourinho. O português, treinador do Tottenham, foi enfático ao criticar a decisão do TAS: “É uma decisão vergonhosa. Se o Manchester City não é culpado, eu acho que ser punido com alguns milhões é uma vergonha. Se você não é culpado, você não pode ser punido. Por outro lado, se você é culpado, você deveria ser banido. Então também seria uma decisão vergonhosa. Em qualquer caso, a decisão é um desastre”.

Por outro lado, há quem defenda a decisão do TAS. Um deles é o técnico do Arsenal, o espanhol Mikel Arteta. Ex-assistente de Pep Guardiola no Manchester City, o espanhol aprovou a liberação de seu ex-clube: “Não há questão sobre o que acontece. Eles merecem estar na Liga dos Campeões, porque o que eles fizeram no campo é inquestionável. Os reguladores analisaram e decidiram que eles não fizeram nada de errado. Então você tem dois aspectos que são bem claros e transparentes e eles estarão na Liga dos Campeões porque eles merecem”.

Quem comemorou o fim da punição foi o próprio técnico do Manchester City, o espanhol Pep Guardiola: “Estou extremamente feliz com a decisão, e mostra que o que as pessoas falavam sobre o clube não é verdade. Nós podemos defender no campo o que fizemos no campo. Como eu disse outras vezes, se nós tivéssemos feito algo errado, nós aceitaríamos da Uefa. Não esperamos que Liverpool, Tottenham, Arsenal, Chelsea ou Wolverhampton nos defendam, mas nós temos o direito de nos defender quando acreditamos que fizemos o correto, e três juízes independentes afirmaram isso”.

O Manchester City enfrenta o Real Madrid, pela partida de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões, no dia 7 de agosto, em Manchester. No jogo de ida, os ingleses venceram por 2 a 1.

Veja também

+ Bolsonaro posta foto com filha e rebate crítica: “Já tomou Caracu hoje?”

+ Faça em casa receita de pudim com milho e leite condensado

+ Ex-capa da Playboy é presa acusada de tráfico de drogas em rede de prostituição

+ Com bumbum à mostra, Ivy Moraes filosofa no Instagram

+ Saiba por que as farmacêuticas vêm testar vacinas no Brasil

+ Namorada de Marco Verratti exibe fotos sensuais

+ Lívia Andrade posa de fio dental

+ Auxílio emergencial: Caixa credita hoje parcela para nascidos em janeiro

+ Google permite ver animais em 3D com realidade aumentada

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?